AFP PHOTO/EVARISTO SA
AFP PHOTO/EVARISTO SA

Temer se reúne com Maia para tratar de Eletrobrás e reoneração da folha

Propostas tramitam na Câmara e enfrentam resistência da oposição e da própria base

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

15 Abril 2018 | 17h29
Atualizado 15 Abril 2018 | 21h10

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer (MDB) se reuniu na tarde deste domingo, 15, com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no Palácio do Jaburu, onde o emedebista mora com a família. Segundo a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto, eles discutiram a agenda legislativa.

+++Após prisão, Lula perde votos; Marina e Bolsonaro se aproximam, diz Datafolha

+++Temer busca atrair partidos da base a projeto eleitoral do MDB

Temer e Maia trataram de projetos como o que viabiliza a privatização da Eletrobrás e o que reonera a folha de pagamento para alguns setores da economia. Ambas as propostas tramitam na Câmara e enfrentam resistência não só de parlamentares da oposição, como de deputados de partidos da própria base aliada. 

Maia e Temer não se encontravam reservadamente havia algumas semanas. O afastamento começou desde o início de março, quando o presidente da Câmara lançou pré-candidatura à Presidência da República pelo DEM com discurso de independência em relação a Temer, que já declarou que quer disputar reeleição. 

O presidente da Câmara se afastou ainda mais de Temer após a Operação Lava Jato atingir amigos próximos do emedebista, no início de abril. A ação fez aumentar rumores sobre uma possível apresentação de uma terceira denúncia contra o presidente da República pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Neste domingo, Temer reuniu-se também com ministros no Palácio do Jaburu para tratar da questão na Síria e da intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro, informou a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

Passaram pelo Jaburu neste domingo os ministros Raul Jungmann (Ministério Extraordinário da Segurança Pública), Eliseu Padilha (Casa Civil), Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional) e o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.