1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Temer: é preciso tempo para avaliar quadro eleitoral

WILSON TOSTA - Estadão Conteúdo

18 Agosto 2014 | 22h 01

O vice-presidente Michel Temer (PMDB) afirmou na noite desta segunda feira, 18, que somente em dez ou quinze dias o comando da campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição terá condições de fazer uma avaliação mais precisa das mudanças no quadro eleitoral causadas pela morte do ex-governador Eduardo Campos, que era o candidato do PSB à Presidência.

Temer ressaltou, contudo, que a pesquisa Datafolha divulgada hoje não mostrou alteração nas intenções de voto em Dilma, que manteve 36%, apesar de Marina Silva, do PSB, cujo nome foi testado pela primeira vez no lugar de Campos, ter chegado a 21%. O tucano Aécio Neves foi para 20%, variando dentro da margem de erro da sondagem.

"Nem sabemos ainda se haverá uma candidata do PSB ou não", declarou o vice-presidente, ao chegar para um encontro em Niterói, na região metropolitana do Rio, com políticos locais, entre eles o governador Luiz Fernando Pezao (PMDB), também candidato à reeleição, e o prefeito Rodrigo Neves (PT).

Temer disse que o resultado da pesquisa parece "muito bom para a presidente Dilma". " Vocês percebem que a presidente Dilma não caiu na pesquisa, ao contrário, manteve o mesmo patamar. Vamos esperar naturalmente mais dez, quinze dias. A primeira sensação que tivemos foi a de manutenção do status que indica que a presidente Dilma poderá ser reeleita." Para ele, o segundo turno é questão a ser examinada "mais adiante".

Apesar de o PT ter candidato a governador, o senador Lindbergh Farias, o prefeito Rodrigo Neves pediu a continuidade da parceria do governo federal com Pezão, em uma defesa da sua reeleição. "Meu partido é Niterói", discursou, no evento lotado de políticos do PMDB. Neves sempre se posicionou contra a candidatura própria e pela manutenção da aliança com Lindbergh.

Eleições 2014