Sergei Chirikov/Estadão
Sergei Chirikov/Estadão

Temer diz que faz governo 'semi-parlamentarista' no Brasil

Em reunião bilateral com o presidente da Câmara dos Deputados da Rússia, presidente ressalta apoio que dispõe no Congresso Nacional e lembra que 90% de seus ministros são parlamentares

Andrei Netto, Enviado especial

20 Junho 2017 | 10h47

O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira, 20, em Moscou, na Rússia, que seu governo é "semi-parlamentarista", mesmo que o Brasil seja um país presidencialista. A declaração foi feita em encontro bilateral com o presidente da Câmara dos Deputados russa, Vyacheslav Volodin.

"A importância do poder Legislativo se reflete na composição que eu fiz do poder Executivo. Cerca de 90% dos ministros que estão me ajudando a governar vieram do poder Legislativo, são deputados e senadores », afirmou o presidente, mencionando o ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, que estava à mesa ao lado de ministros, deputados e senadores membros da delegação brasileira.

"O ministro Sarney Filho me lembra aqui que o nosso regime é presidencialista, mas eu faço um presidencialismo semi-parlamentarista, porque nós conseguimos produzir atos muito produtivos para o país exata e precisamente porque temos o apoio do Congresso Nacional."

Minutos depois, Temer voltou ao assunto, quando ressaltou a ampla base de apoio que garante ter no Parlamento. "Não sei se é bom ou se é ruim, mas temos 28 partidos no parlamento brasileiro. Temos alguns de oposição, mas a grande maioria apoiando o governo brasileiro », disse o presidente. "Temos 21 partidos apoiando o governo brasileiro."

Na reunião, Temer lembrou o programa de reformas econômicas, citando a Proposta de Emenda Constitucional que estabeleceu um teto dos gastos públicos. Fez referências ainda ao programa de concessões de portos e aeroportos em curso e destacou que espera que a Parceria Estratégica entre Rússia e Brasil, firmada em 2002, possa ser aprofundada. "Mas nossa relação vai muito além do plano econômico", disse Temer, que lembrou os laços entre os dois países nos BRICS e no G20.

O encontro terminou em uma nota bem-humorada, quando Temer disse esperar que na final da Copa do Mundo de 2018 estejam presentes o Brasil e a Rússia.

Temer está em Moscou na primeira etapa de sua turnê pela Europa, que ainda inclui uma viagem a Oslo, na Noruega. Pressionado pela revelação de que a Polícia Federal vê indícios de corrupção envolvendo seu nome, o presidente não quis falar à imprensa em sua chegada à Rússia, na manhã desta terça-feira (à tarde, no horário local).

Mais conteúdo sobre:
Michel Temer Rússia Moscou Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.