Temer diz que críticas ao Congresso são 'injustas'

Em meio às denúncias de irregularidades no Congresso Nacional, o presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB), defendeu hoje o Poder Legislativo, ao chamar de "absolutamente injustas" as críticas à Câmara e ao Senado. Para o parlamentar, as acusações contribuem para uma "consciência pública negativa" que pode levar a retrocessos na democracia. "A história nos recomenda cuidado. Se fizermos uma pesquisa popular, talvez 80% diga que o Legislativo é desnecessário, que se pode fechá-lo", disse ele, ao participar hoje de encontro do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), em São Paulo.

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

30 Março 2009 | 16h19

Na defensiva, Temer esquivou-se de responder sobre duas novas denúncias de abusos na Câmara: a contratação de uma empregada doméstica com verba da Casa e o mau uso de passagens aéreas. "Não vou adotar o hábito de condenar antes de julgar", respondeu o presidente da Câmara, na entrevista coletiva após o evento, ao ser questionado sobre o caso do deputado Alberto Fraga (DEM-DF), que de acordo com a denúncia paga a empregada de sua casa como se ela fosse funcionária do Legislativo.

Sobre o repasse de verbas para até uma passagem por dia para cada deputado, Temer disse que há um estudo em curso para cortar gastos. "Estamos fazendo um estudo técnico, que não há de se pautar por aquilo que se diz aqui e acolá", respondeu ele, não sem antes reclamar dos questionamentos da imprensa. "Não se costuma perguntar sobre o que está sendo feito de bom."

Mais conteúdo sobre:
corrupção Congresso Câmara Michel Temer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.