André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Temer defende aprovação de PEC sobre doações empresariais em reunião com ministros

Na semana passada, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), divergiram sobre o tema e não chegaram a um acordo sobre acelerar a tramitação da proposta que trata do tema

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

08 Outubro 2015 | 21h37

Brasília - O vice-presidente Michel Temer defendeu, durante a primeira reunião com a nova equipe ministerial nesta quinta-feira, 8, que a votação da proposta que tramita no Senado e autoriza a doação de empresas a campanhas eleitorais poderia distensionar o clima no Congresso.

Na semana passada, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), divergiram sobre o tema e não chegaram a um acordo sobre acelerar a tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que trata do tema. 

O assunto, historicamente, coloca em lados opostos PT e PMDB. Enquanto o partido da presidente Dilma Rousseff sempre defendeu o financiamento público exclusivo de campanhas, o do vice considera adequado um partido receber doações empresariais. 

No mês passado, Dilma decidiu seguir a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e vetar o ponto da reforma política aprovada pela Câmara que permitia o financiamento empresarial de campanha. Na ocasião, Temer já havia defendido que era a favor da votação da PEC que tramita no Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.