Nelson Almeida/AFP
Nelson Almeida/AFP

'Tem gente que age mais como dirigente partidário do que como representante do Judiciário', diz Lula

Em missa de um ano da morte de Marisa Letícia, ex-presidente fez discurso emocionado em que enalteceu a luta da ex-mulhere se defendeu das acusações contra ele

O Estado de S.Paulo

03 Fevereiro 2018 | 21h29

SÃO PAULO - Na celebração da missa de um ano da morte da ex-primeira dama Marisa Letícia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um discurso emocionado no qual enalteceu a luta de sua ex-mulher na política, disse que não está acima da lei e reafirmou que sofre perseguição política, alegando ser inocente.

+ Manifestantes fazem churrasco em frente ao triplex do Guarujá

"O Judiciário é uma instituição poderosa e tem gente extraordinária, mas também dentro das instituições tem gente que não é nem extraordinária nem de boa fé", disse. "Tem gente hoje que age muito mais como dirigente partidário do que como alguém representante do poder Judiciário". 

A missa de um ano do falecimento da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva foi realizada na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo. Muito emocionado, o ex-presidente participou da missa acompanhado de seus filhos, familiares, amigos e militantes do Partido dos Trabalhadores.

Em seu sermão, o bispo Dom Angélico falou de política. "Vivemos agora sob um golpe parlamentarista. Digam o que quiser, esta é a verdade, e foi feito para atender aos interesses econômicos de grandes empresários, grandes bancos", disse o sacerdote. "A Marisa Letícia foi envolvida em uma verdadeira conspiração e sua saúde não resistiu". 

+ Pivô da condenação de Lula, triplex acumula dívida de R$ 80 mil em IPTU

Ao final do evento, sob aplausos e gritos de 'olê, olê, olá, Lula, Lula', o ex-presidente afirmou que vai lutar para recuperar o País politicamente e a 'autoestima do povo'. "Hoje não se governa, se destrói patrimônio, não se pensa em soberania, mas em vender patrimônio público". Disse ainda que os trabalhadores que tiveram aumento nos salários e melhoria em suas vidas estão perdendo o que foi conquistado durante seu mandato.   

"Espero que meu tempo de vida ainda seja longo, se eu chegar aos 90 anos, com a vontade e energia que eu estou, eu serei um contribuinte para a recuperação democrática desse País, para que pessoas mais simples e pobres tenham vez novamente".

+ Menções a Lula caem 41% nas redes sociais

Após a missa, o ex-presidente agradeceu a disposição das pessoas que compareceram à celebração. Chorando, saudou os metalúrgicos e o sindicato pelo comprometimento e por ceder o espaço para a missa. "Tem muito a ver a história da Marisa e a minha com esse sindicato. Foi em 1973 que nos conhecemos e casamos em 1974", afirmou Lula. "Marisa foi companheira em todos os momentos, foi uma lutadora".

+ Por dentro do triplex do Guarujá

Entre os políticos presentes estavam o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT-SP), o ex-ministro do governo Lula e ex-prefeito de São Bernardo do Campo Luiz Marinho, além do ex-ministro da Defesa e das Relações Exteriores Celso Amorim. Dona Marisa Letícia morreu no dia 3 de fevereiro de 2017, após um acidente vascular cerebral (AVC). 

Lula foi condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região por corrupção e lavagem de dinheirocom pena de 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado no caso triplex em 25 de janeiro. Antes, havia sido condenado pelo juiz Sérgio Moro a nove anos e seis meses de prisão em 1.ª instância.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.