Rodolfo Burher/Reuters
Rodolfo Burher/Reuters

STJ nega trancar processo de Marcelo Odebrecht e mais três por corrução ativa

Cesar Ramos Rocha, Márcio Faria da Silva e Rogério Santos de Araújo estão presos após denúncias de lavagem de dinheiro

Gustavo Aguiar, O Estado de S. Paulo

31 Outubro 2015 | 15h22

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Ribeiro Dantas negou, neste sábado, 31, o pedido de liberdade a Marcelo Odebrecht e mais três executivos da empreiteira investigados na Operação Lava Jato. Marcelo, Cesar Ramos Rocha, Márcio Faria da Silva e Rogério Santos de Araújo estão presos no Paraná denunciados por lavagem de dinheiro, organização criminosa e corrupção ativa no esquema envolvendo contratos com a Petrobras. 

Os advogados dos executivos da Odebrecht recorreram de uma decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) que já havia negado o habeas corpus aos quatro executivos. Com o pedido, a defesa esperava pelo trancamento de um segundo processo por suposta prática de corrupção ativa contra os investigados. No documento, os advogados afirmaram que Marcelo, César, Márcio e Rogério estão sendo submetidos a flagrante constrangimento ilegal.

O juiz federal Sérgio Moro ouviu Marcelo Odebrecht ontem, preso desde 19 de junho. O presidente da empreiteira é alvo central da 14ª fase, batizada de Operação Erga Omnes — "vale para todos", em latim —, Odebrecht tem negado  qualquer envolvimento em irregularidades. Marcelo afirmou à Justiça Federal que a Operação Lava Jato "distorceu fatos" com objetivo "ilegal" e "cruel" de impor a ele a prisão preventiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.