1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

STF manda para Moro processos contra mulher e filha de Cunha na Lava Jato

- Atualizado: 15 Março 2016 | 21h 10

Determinação atende a uma manifestação do procurador-geral da República, Rodrigo Janor, sob a justificativa de que elas não têm foro privilegiado para serem investigadas pelo Supremo

BRASÍLIA - O ministro Teori Zavascki decidiu mandar para o juiz Sérgio Moro, em Curitiba, o processo na Lava Jato contra Cláudia Cruz e Danielle Dytz, mulher e filha do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A determinação atende a uma manifestação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sob a justificativa de que elas não têm foro privilegiado para serem investigadas pelo Supremo.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ)
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

O desmembramento é referente a investigação de supostas contas ilegais mantidas pela família de Cunha na Suíça, e que eram abastecidas com propina desviada de contratos com a estatal. O parlamentar já foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao STF sobre os fatos investigados neste inquérito.

Moro é responsável por julgar as ações dos investigados no esquema de corrupção da Petrobrás e que não têm foro privilegiado. Na semanada passada, os advogados de Cláudia e Danielle enviaram um pedido ao Supremo para tentar escapar do juiz. Segundo os advogados de ambas, o desmembramento do inquérito atrapalharia a defesa por “imbricação” nas condutas atribuídas aos três.

O parlamentar se tornou réu em outro procedimento que tramita no Supremo sobre ao recebimento de vantagens ilícitas em contratos de navios-sonda para a Petrobrás. Há também uma terceira investigação contra o peemedebista que apura a suspeita do pagamento de propina em obras do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro.

A defesa afirmou que ainda não vai se pronunciar sobre a decisão. Cunha, ao ser questionado sobre o caso, também afirmou que não ia comentar o assunto.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX