1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Skaf muda promessa de ensino integral na rede pública

MATEUS COUTINHO - O Estado de S.Paulo

20 Agosto 2014 | 02h 01

Candidato havia dito que seria possível incluir todo novo aluno em 2016, mas refaz cálculo para 58% dos estudantes de 1º ano

O candidato do PMDB ao governo de São Paulo, Paulo Skaf, mudou ontem sua promessa de oferecer ensino em tempo integral na rede pública estadual a partir de 2016.

O peemdebista afirmou que, caso eleito, apenas 70 mil dos 120 mil alunos que ingressarem na primeira série do ensino fundamental em 2016 poderão ter educação em tempo integral na rede estadual. Ou seja, apenas 58%. No começo do mês, durante sua participação na série "Entrevistas Estadão", ele afirmou que, em 2016, 100% dos estudantes já entrariam no ensino fundamental com educação integral.

Skaf disse que em um ano não seria possível implantar o modelo em todas as turmas do primeiro ano do ensino fundamental por falta de estrutura na rede

"Não é toda estrutura do Estado que está preparada, então nas condições minimas e no tempo de um ano para preparar dá pra por 70 mil alunos (em tempo integral)", explicou.

Segundo o candidato, sua proposta consiste em adotar a educação básica em tempo integral como um projeto "de Estado", e não apenas "de governo", com investimentos da ordem de R$ 16 bi em 10 anos. "Vai ser mais fácil que no Sesi, que temos 175 escolas , das quais 127 tivemos que construir. No Estado já tem escolas, é uma questão de adaptação", afirmou.

Sesi. Apesar da comparação, o número de matrículas em tempo integral no Estado estimadas para 2016 é quase o dobro dos 35,7 mil alunos matriculados em sete anos (2007-2013) nas escolas que adotam este modelo no Sesi.

As escolas do Sesi são utilizadas como referência a ser adotada na rede pública estadual por Skaf. Ele adotou o ensino integral nas escolas da entidade durante sua gestão à frente da Fiesp, Para disputar as eleições deste ano, o peemedebista se licenciou da federação.

As escolas do Sesi são privadas e apenas os alunos cuja família apresente renda igual ou inferior a um salário mínimo são isentos das taxas de matrícula e das mensalidades.

Atualmente o governo de São Paulo já conta com 182 escolas com um total de 52 mil estudantes em tempo integral, quase o dobro das 97 escolas que adotam esse modelo de ensino no Sesi-SP. O Estado de São Paulo conta com um total de 5083 escolas e 4,1 milhão de estudantes matriculados, considerando os ensinos fundamental, médio, a Educação de Jovens e Adultos e a Educação Indígena.

  • Tags: