1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Skaf critica tucanos de SP e diz que pode apoiar Campos

MARIA DO CARMO PAGANI - Agência Estado

07 Maio 2014 | 19h 29

Pré-candidato ao governo paulista pelo PMDB, Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), disse em Campinas nesta quarta-feira, 7, que a partir do dia 2 de junho vai a campo em busca de partidos que se unam à sua candidatura, para vencer as eleições ao governo do estado neste ano. Skaf disse que vê a coligação com o PSB, de Eduardo Campos e Marina Silva, como possível. "Estarmos juntos nessa campanha é sim uma possibilidade. Não vejo nada que impeça a coligação. Mas conversaremos também com o maior número possível de partidos", disse.

Em sua visita a Campinas, o presidente da Fiesp fez críticas contundentes à gestão do PSDB no Estado. Da crise hídrica à segurança e educação, a avaliação de Skaf é de que as políticas adotadas pelos tucanos nesses 20 anos de gestão têm sido responsáveis por grande parte das dificuldades atuais.

A falta de transparência, entende o presidente da Fiesp, é uma marca do governo do Estado. "Em relação à crise hídrica, por exemplo, o governador insiste em negar que haja racionamento quando ele já é realidade em diversos bairros da região metropolitana da capital e em municípios vizinhos", destaca.

Para Skaf, o governo do PSDB em São Paulo não tem assumido suas responsabilidades em relação ao abastecimento, já que desde 2004 tinha informações sobre a necessidade de investimentos para modernização do sistema.

"Muito pouco foi feito. Permanece o desperdício de água na rede, a não-execução de interligações, a falta de saneamento. Enquanto isso a Sabesp dividiu nos últimos 10 anos cerca de R$ 5 bilhões aos seus acionistas", pondera, lembrando que é favorável à divisão de lucros, desde que investimentos para modernização e para evitar o desperdício tivessem sido feitos.

O mesmo, aponta o presidente da Fiesp, pode ser dito quando os temas são segurança e educação. Skaf destaca que ''não adianta ter polícia (policiais em número expressivo) se ela não oferece segurança''. E a principal causa disso, acredita, é a falta de gestão no governo estadual. A mesma falta de gestão ele vê na educação. "Somos o estado mais rico do país e sequer conseguimos oferecer educação de qualidade. De nada adianta à criança ir para e escola e passar de ano sem nada aprender. Podem até haver boas políticas pontuais, mas falta o laço que as amarra", diz.

O presidente da Fiesp esteve em Campinas para inaugurar o Laboratório de Ensaios em Bebidas e a Planta de Alimentos para Animais, resultantes de investimentos de R$ 30,1 milhões, da Escola SENAI Prof. Dr. Euclides de Jesus Zerbini.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo