1. Usuário
Assine o Estadão
assine
cartel de trens

Siemens admite ser alvo de investigações em 12 países

Jamil Chade - O Estado de S. Paulo

28 Fevereiro 2014 | 04h 00

Além da proibição de participar de licitações públicas no Brasil por cinco anos, multinacional alemã reconhece ser alvo de investigações por conta de pagamento de propinas

GENEBRA - A Siemens está impedida de participar de licitações públicas para obras no Brasil e fechar contratos com governos pelo País. A informação faz parte do informe financeiro da própria empresa, publicado na Alemanha há poucas semanas para investidores.

A companhia que vem sendo investigada depois de denunciar a formação de cartel no Brasil. Mas, segundo os documentos da empresa, esse não seria o único caso.

"Em agosto de 2013, uma corte brasileira manteve a decisão de suspender a Siemens Ltda. Brasil de participar em licitações públicas e assinar contratos com administrações públicas no Brasil por um prazo de cinco anos", indicou. A decisão teria como base "supostas irregularidades nos anos de 1999 e 2004 no que se refere à licitações", indicou. A companhia explica que está tentando reverter a decisão nos tribunais.

Já em 2013, a gigante alemã foi suspensa de Banco de Investimentos Europeus por 18 meses de licitações na Europa por conta de irregularidades descobertas. A empresa ainda teve de fazer um pagamento de 13,5 milhões de euros, dinheiro que seria dado para projetos de combate à corrupção.

Além dos casos brasileiros, a Siemens admite que está sendo alvo de investigações em doze países diferentes por conta de pagamento de propinas ou outras irregularidades. "Como resultado, sanções criminais e civis podem ser impostas contra a empresa ou alguns de seus empregados", admitiu a Siemens aos investidores.

A empresa alemã reconhece até mesmo que "o escopo das investigações pode ser ampliado e novas investigações podem começar em conexão com subornos e outros atos ilegais".

A Siemens também admite que pode sofrer perdas. "As atividades operacionais, os resultados financeiros e a reputação da empresa podem ser também negativamente afetados, particularmente como resultado de penalidades, multas, medidas compensatórias, exclusão formal e informação de convites a licitações públicas e perda de licenças", indicou a Siemens em seu informe.

Casos. Entre os casos enfrentados pela Siemens está a suspeita de corrupção no Kuwait, uma investigação do Ministério Público de Munique por conta de pagamentos de propinas no setor de gás na Asia Central, uma suspeita de corrupção na Turquia, um escândalo envolvendo a Siemens e políticos gregos e mesmo em Bangladesh, Tailândia, Austria e na Africa do Sul.

Na América Latina, os casos também são importantes. A Argentina investiga a companhia e o próprio Banco Interamericano de Desenvolvimento abriu investigações por conta de um contrato da Siemens na região de Córdoba.

Outro caso ainda envolve a suspeita de corrupção no que se refere a projetos de saúde nas províncias venezuelanas de Anzoategui e Merida.

cartel de trens