estadão.com.br
estadão.com.br

Serra falta à sabatina de programa de TV

Tucano não justificou ausência na série de entrevistas com pré-candidatos à Prefeitura de SP, promovida pela Rede Record

Ricardo Chapola, do estadão.comn.br

29 Maio 2012 | 18h32

Com a ausência não justificada do tucano José Serra na série de sabatinas realizada pela Rede Record, a produção da emissora resolveu nesta terça-feira, 29, antecipar a agenda, na qual estava prevista a participação do pré-candidato do PRTB, Levy Fidelix, meia hora depois.

O mediador da sabatina anunciou o não comparecimento de Serra na abertura do quadro. A Record informou ter convidado o ex-governador, assim como fez com os demais pré-candidatos. Nessa segunda-feira, 28, a emissora pretendia colocar um informativo em rede nacional, comunicando a ausência de Serra. Diante do silêncio do ex-governador ao convite, a direção decidiu apenas antecipar a sabatina com Levy Fidelix.

Após ser sabatinado, o pré-candidato do PRTB, Levy Fidelix, disse que entrará na disputa pela Prefeitura de São Paulo com a bandeira da inovação. Aproveitou o anúncio para alfinetar o adversário do PT, Fernando Haddad, contestando o slogan petista, lançado nas últimas inserções do partido na TV, de que o ex-ministro é o candidato da inovação.

"Nós vamos trazer o logo da inovação, não é aquele outro candidato, que fala que é novo. Nós é que somos a inovação de verdade", criticou.

Folclórico e popular pelas suas propostas exóticas - como o aerotrem, defendido em antigas campanhas - Fidelix apresentou na sabatina desta terça o projeto de tapar os rios Tietê e Pinheiros, plano que viabilizaria a construção do trem aéreo pelas marginais. Enquanto argumentava aos jornalistas, ele contou sua chegada a São Paulo, quando conheceu o rio Tietê. "Quando cheguei em São Paulo, vim pela Dutra, e me deparei com aquela vala de merda que é o Tietê", afirmou, pedindo desculpas logo em seguida. A declaração provocou risos da pequena plateia presente no estúdio.

Ele também foi questionado sobre suas ligações com Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.  No início de maio, ligações da PF mostraram interlocutores do bicheiro negociando o partido de Fidelix, também citado em algumas das conversas. Repetindo a mesma defesa feita na época, Levy Fidelix reafirmou não conhecer "nem Dadá, Dedé, Didi, muito menos Cachoeira, a não ser a de Itaipu".

Mais conteúdo sobre:
eleições 2012 José Serra Levy Fidelix

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.