Pablo Valadares/AE
Pablo Valadares/AE

Senador aponta contas paralelas e Sarney abre nova sindicância

Casagrande informa descoberta de contas que somam R$ 3,74 mi e funcionam paralelamente com verba da Casa

Sandra Manfrini, da Agência Estado, e Eugênia Lopes, de O Estado de S. Paulo,

24 Junho 2009 | 14h21

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), determinou nesta quarta-feira, 24, segundo sua assessoria de imprensa, a abertura de comissão de sindicância para investigar a existência de duas contas, uma corrente e outra de poupança, na Caixa Econômica Federal, em nome do Senado. A denúncia, feita pelo senador Renato Casagrande (PSB-ES), aponta que as duas contas somam R$ 3,74 milhões e funcionavam paralelamente aos recursos orçamentários do Senado depositados na Conta Única do Tesouro Nacional. Casagrande deve apresentar a denúncia esta tarde no plenário da Casa.

 

Veja também:

lista Confira a lista dos 663 atos secretos criados no Senado

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

som ÁUDIO: Sarney fala sobre mudanças moralizadoras

documento Leia a íntegra da defesa do presidente do Senado

mais imagens GALERIA DE FOTOS: Sarney discursa no Senado

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

linkPSOL começa a colher assinaturas para CPI dos atos

 

Segundo a assessoria da presidência do Senado, as investigações ficarão a cargo da Secretaria de Controle Interno e a comissão de sindicância terá sete dias, a partir da data de publicação do ofício, para concluir os trabalhos. A comissão deverá apurar quem abriu as contas, qual a movimentação que foi feita e por quem esses recursos foram movimentados.

 

Ainda de acordo com a assessoria do presidente do Senado, segundo informações da Agência Brasil, o parlamentar não tinha qualquer conhecimento de recursos paralelos aos que estão depositados na Conta Única do Tesouro Nacional. A descoberta da existência de contas paralelas surgiu durante uma investigação realizada pela Comissão de Meio Ambiente do Senado. Renato Casagrande, que é o presidente da Comissão, já encaminhou ofício a Sarney comunicando o fato e recomendando uma série de providências.

 

(Com Agência Brasil)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.