1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Senado exonera assessor de Delcídio que gravou Mercadante

- Atualizado: 18 Março 2016 | 13h 46

A demissão foi determinada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL)

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS)
O senador Delcídio do Amaral (PT-MS)

Brasília - O Senado exonerou o assessor de Delcídio Amaral (sem partido-MS), Eduardo Marzagão, que é autor das gravações que mostram o ministro Aloizio Mercadante em suposta tentativa de evitar deleção premiada do senador. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União nesta sexta-feira, 18. Para o Marzagão, a decisão é uma perseguição política.

A demissão foi determinada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Segundo assessores, Renan alegou quebra de confiança. Marzagão, entretanto, não concorda com a justificativa. "Quebra de confiança de quem? Da instituição? Eu não fiz nada dentro da instituição", afirmou.

Para Marzagão, Renan assinou sua demissão à pedido do governo e o ato faz parte de uma "perseguição política" que ele sofre desde que revelou as gravações. Os registros feitos pelo assessor também fazem parte a delação premiada de Delcídio, que foi homologada nesta semana.

O Senado também exonerou o ex-chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira Rodrigues, que foi preso preventivamente na Lava Jato junto com Delcídio em novembro do ano passado. Ambos foram soltos em fevereiro.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX