1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Senado aprova PEC que impede criação de despesa sem previsão de recursos

- Atualizado: 16 Fevereiro 2016 | 20h 11

Proposta de emenda à Constituição impede a criação de encargos para União, Estados, Distrito Federal e municípios sem a previsão de recursos financeiros para custear as novas iniciativas

BRASÍLIA - O Senado aprovou nesta terça-feira em primeiro turno uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que impede a criação de encargos para União, Estados, Distrito Federal e municípios sem a previsão de recursos financeiros para custear as novas iniciativas. O texto voltará para a Câmara por ter sido alterado pelos senadores para estender a proibição de imposição de novas despesas também para União, o que não constava anteriormente na versão aprovada pelos deputados.

A PEC ainda terá de passar por uma segunda votação na Casa e, amanhã, a discussão será retomada em segundo turno com a apreciação de destaques.

A proposta é a de maior consenso da pauta de reivindicações dos Estados e do DF que se reuniram com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Desde a volta do recesso, os senadores vinham sendo pressionados por governadores e prefeitos para aprovar a matéria.

Os senadores aprovaram uma emenda do líder do PMDB do Senado, Eunício Oliveira (CE), que ampliava também para a União a vedação de se impor novas despesas. A modificação obrigará o texto a voltar para a Câmara.

Objeto de grande discussão em plenário, um dos destaques pendentes de votação tenta impedir que uma lei federal imponha um piso salarial para Estados e municípios. A proposta pode atingir a fixação do piso nacional dos professores que, em janeiro, foi reajustado por lei federal em 11,36% - o novo piso passou a ser de R$ 2.135,64.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX