1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Segundo turno agora é certeza, afirma Aécio

LUCIANA NUNES LEAL - O Estado de S. Paulo

18 Agosto 2014 | 12h 17

Para candidato do PSDB à Presidência, empate técnico com Marina em pesquisa de intenção de voto é "absolutamente" esperado; coordenador de campanha diz que estratégia será mantida

Rio - O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, afirmou nesta segunda-feira, 18, que o segundo turno na corrida presidencial agora é uma certeza. O resultado da primeira pesquisa Datafolha após a morte do ex-governador Eduardo Campos (PSB) mostra a entrada da ex-ministra Marina Silva na disputa como candidata a presidente com 21% das intenções de votos, em empate técnico com o tucano.

Marina deve ser confirmada nesta quarta-feira, 20, como substituta do ex-governador de Pernambuco na eleição presidencial. Segundo Aécio, o quadro eleitoral mudou com a entrada de Marina na disputa e o resultado do levantamento era “absolutamente” esperado. Para ele, entretanto, existe um certo açodamento nas previsões para o futuro.

Andre Dusek/Estadão
Para Aécio Neves, o quadro da disputa muda com Marina Silva como candidata

Quando Campos era o candidato do PSB, as pesquisas de intenção de voto deixavam em dúvida a possibilidade de segundo turno. No levantamento anterior, em julho, a presidente Dilma Roussef tinha 36% das intenções de voto diante de 20% de Aécio e 8% de Campos. Agora, a petista e o tucano mantiveram o resultado e Marina atraiu o voto de brancos/nulos e indecisos. Em um eventual segundo turno, o tucano perderia para Dilma.

Aécio esteve nesta segunda-feira na Comunidade Santa Marta, Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro. Recebido pelo secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, o candidato visitou a sede da Unidade de Polícia Pacificadora na comunidade e voltou a prometer levar a UPP para outras áreas da região metropolitana.

Estratégias. O coordenador-geral da campanha de Aécio, senador Agripino Maia (DEM-RN), afirmou ao Broadcast Político, serviço em tempo real da Agência Estado, que o resultado da pesquisa não vai mudar a estratégia de atuação da candidatura.

"A pesquisa foi feita sobre o impacto da emoção e, por isso, acho que não há nenhuma razão para a campanha de Aécio mudar a sua estratégia", afirmou Agripino, ao destacar que Marina, "de maneira nenhuma", será alvo de ataques do candidato do PSDB. Segundo o coordenador-geral, Aécio trabalhará de forma propositiva, apresentando ao eleitorado o que, na avaliação da campanha, é o melhor para o País nos próximos quatro anos.

Eleições 2014