1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Secretário de Alckmin grava mensagem de apoio a Doria

- Atualizado: 12 Fevereiro 2016 | 21h 07

João Carlos Meirelles (Energia) e o chefe de gabinete da pasta, Marco Antonio Castello Branco, defenderam candidatura do empresário à Prefeitura para 'renovar' o PSDB

SÃO PAULO - O secretário de Energia do governo Geraldo Alckmin, João Carlos Meirelles, e o chefe de gabinete da pasta, Marco Antonio Castello Branco, gravaram nesta sexta-feira, 12, mensagens de apoio à candidatura de empresário João Doria Jr pelo PSDB à Prefeitura de São Paulo. Os vídeos com os depoimentos serão veiculados pelas redes sociais ainda nessa sexta. 

O secretário de Energia, João Carlos Meirelles

O secretário de Energia, João Carlos Meirelles

Doria é um dos três postulantes do partido à vaga e é o candidato de Alckmin no processo de prévias do partido. Além dele, o deputado federal, Ricardo Tripoli, e o vereador, Andrea Matarazzo, também desejam disputar a Prefeitura pela legenda. O candidato do PSDB vai ser escolhido no dia 28, quando acontecem as prévias. 

"Eu apoio João Doria pela sua longa militância partidária e por representar o novo, a renovação", disse Meirelles ao Estado. "Ele vem do mundo empresarial. É um fato novo no PSDB. Estamos precisando de renovação na vida política". 

Alckmin tem pedido a líderes tucanos que apoiem o Doria desde semana passada. O governador não pretende, entretanto, declarar apoio formal ao empresário e deve atuar apenas nos bastidores. Pessoas próximas ao governador afirmam que outros secretários devem fazer o mesmo que Meirelles e o chefe de gabinete de Energia. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX