Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política » ‘Se indicação for técnica, não vejo problema’, diz Kátia Abreu

Política

‘Se indicação for técnica, não vejo problema’, diz Kátia Abreu

Uma das articuladoras das adesões ao governo, ministra afirma não haver impeachment ‘por má gestão ou antipatia’

0

Victor Martins,
O Estado de S.Paulo

30 Março 2016 | 06h33

BRASÍLIA - Uma das responsáveis por contar votos contrários e favoráveis ao impeachment da presidente Dilma Rousseff e converter desafetos em aliados, a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, afirmou não acreditar na queda do governo. Em entrevista antes da reunião do diretório do PMDB, ela colocou os cargos da sua pasta à disposição para abrigar novos aliados como contrapartida em uma negociação.

A sra. está engajada em evitar o impeachment. Como está o apoio ao governo nesse sentido?

Hoje, temos número de votos suficientes para ganhar (na votação do impeachment). Não há tanta dificuldade, as pessoas é que estão desenhando um quadro sombrio. Estamos otimistas. Estou em contato constante com a presidente Dilma e ela está confiante na Justiça e no Congresso e acredita que, na hora da votação, a opção da maioria não será pela ilegalidade.

Como é feita a articulação? O que os deputados pedem?

Minha maneira de fazer é usar argumentos. Para mim, ninguém pede nada em troca. Só estamos usando argumentos, mas não sou hipócrita, somos todos políticos. O político apadrinha para entrar, participar do governo. Não tenho preconceito, desde que seja gente especializada. Se forem indicações para o ministério, não vejo problema, desde que a pessoa seja técnica e saiba o que está fazendo. A pessoa pode ter padrinho para entrar, mas quem decide se fica ou não sou eu.

Alguns têm classificado o processo de impeachment como golpe. A sra. concorda?

Não vejo motivo constitucional. Não estou dizendo que impeachment é golpe, o problema é a forma como ele está ocorrendo. Como disse o Renan (Calheiros, presidente do Senado), se não tem crime de responsabilidade, esse processo tem de ter outro nome que não impeachment. Todos têm o direito de buscar o não impeachment. Não estou aqui atrás de emprego. Estou aqui porque acredito. Poderia ficar em cima do muro, que é mais confortável, mas não sei ser diferente.

As pessoas têm demonstrado insatisfação com o governo.

Vamos criticar. A crítica é justa. Erros foram cometidos na economia, houve aumento do desemprego, mas tudo está em tempo de ser corrigido. Precisamos votar as medidas no Congresso. Se acharmos que está ruim, conserto o problema nas urnas, na democracia é assim. Não há impeachment por má gestão e antipatia.

A sra. sondou outros partidos para continuar no governo?

Se eu fiz qualquer ligação ou sondei qualquer partido, quero perder a vida. Pior, ficar cega. Meu partido é o PMDB. Eu não procurei ninguém.

Comentários