Sarney volta a manifestar apoio ao MST

Depois de discursar, na semana passada, defendendo o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) voltou hoje a manifestar apoio à entidade. Sarney afirmou que os brasileiros precisam fazer uma reflexão sobre os problemas do campo e lamentou que a sociedade não tenha atualizado sua legislação sobre o assunto, ao receber um manifesto assinado por representantes de organizações brasileiras e estrangeiras que defendem o direito à terra.

ROSA COSTA, Agencia Estado

29 Setembro 2009 | 20h41

Quando assumiu a presidência, Sarney justificou o enviou de policiais do Senado ao Maranhão, alegando que membros do MST ameaçavam invadir sua casa na praia do Calhau, em São Luís.

O manifesto foi entregue por parlamentares do PT, PCdoB e PSOL, pelo bispo emérito de Goiás, Dom Tomás Balduíno e pelo novo presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Augusto Chagas.

A UNE, que há três meses fez manifestação no Senado pela saída de Sarney, também mudou. O novo presidente da entidade pediu aos fotógrafos que o registrassem abraçado ao presidente do Senado.

Mais conteúdo sobre:
Senado José Sarney MST manifesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.