Sarney diz que suspensão de pagamento regulariza servidores

Mais de 500 funcionários do Senado que não fizeram o recadastramento anual terão o salário bloqueado

Priscilla Mazenotti, Agência Brasil

28 Outubro 2009 | 16h02

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse nesta quarta-feira (28) que o corte de salário dos funcionários da Casa que não fizerem o recadastramento anual é uma forma de regularizar a situação dos servidores. Ele voltou a afirmar que os 503 funcionários que não fizeram – ou não concluíram – o recadastramento terão salário bloqueado até que se confirme sua situação.

 

“A minha tendência é de mandar suspender o salário”, disse. Dos 503 funcionários que terão o pagamento cortado, 88 nem ao menos iniciaram o recadastramento. “Depois da suspensão, evidentemente, os casos vão aparecer, quem é que está trabalhando e quem não está. A decisão é uma maneira de a gente provocar imediatamente a regularização dos funcionários da casa”, disse.

 

Sarney disse que deverá receber amanhã o relatório da Fundação Getulio Vargas com as recomendações de cortes na Casa, como parte da reforma administrativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.