André Dusek/AE
André Dusek/AE

Sarney diz que denúncias sobre Demóstenes Torres são graves

Presidente do Senado não quis fazer qualquer avaliação sobre o futuro político de Demóstenes

Ricardo Brito, da Agência Estado

29 Março 2012 | 15h25

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), classificou há pouco como "graves" as denúncias que envolvem o ex-líder do Democratas Demóstenes Torres (GO). Sarney disse que vai dar encaminhamento à representação apresentada nesta quarta-feira, 28, pelo PSOL, que pede a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar contra Demóstenes. O senador é suspeito de ter negócios ilícitos com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso na Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, por exploração de jogos ilegais em Goiás.

"As denúncias são graves e o que nós temos (que fazer) aqui é colocar em andamento as representações que forem feitas", afirmou Sarney, em rápida entrevista concedida depois da reunião com o presidente interino do Conselho de Ética do Senado, Jayme Campos (DEM-MT). Sarney não quis fazer qualquer avaliação sobre o futuro político de Demóstenes.

Vice-presidente do Conselho, Jayme Campos já disse que se sente impedido de conduzir o caso envolvendo Demóstenes, seu colega de partido. O cargo no conselho está vago desde setembro do ano passado, quando o senador João Alberto (PMDB-MA) deixou a Casa para ocupar um cargo no governo de Roseana Sarney. Um novo presidente do Conselho de Ética deverá ser eleito em 11 de abril.

Mais conteúdo sobre:
Sarney Demóstenes Torres denúncias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.