Salgado quer fazer ´adendos´ ao relatório do caso Renan

Novo relator quer que a votação do processo por quebra de decoro seja as 17 horas

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 12h56

O senador Wellington Salgado (PMDB-MG), novo relator do processo contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que quer votar nesta quarta-feira, 20, as 17 horas, o relatório no Conselho de Ética. Salgado disse que fará "alguns adendos" ao relatório já pronto e que pretende sugerir "alguma coisa". Indagado se ele não se sente desconfortável em relatar o processo, já que é aliado de Renan e suplente do ministro das Comunicações, Hélio Costa, Salgado afirmou que "ninguém se sente confortável em julgar o presidente do Senado". "Não me sinto confortável, mas não sou covarde. Não vou sentar ali na cadeira e por o rabo entre as pernas", afirmou. O novo relator não quis adiantar se vai seguir o parecer anterior do ex-relator Epitácio Cafeteira (PTB-MA), que recomendou o arquivamento do processo. Renan é acusado de ter pensões pagas pelo lobista Cláudio Gontijo, da empreiteira Mendes Júnior, a Mônica Veloso, com quem tem uma filha extraconjugal. Sua defesa tenta provar rendimentos próprios para justificar o pagamento das pensões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.