Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Rossetto é vaiado e chamado de mentiroso em ato da UNE

'O povo não é bobo, o ministro é mentiroso', gritavam militantes do PSOL ao ministro da Secretaria-Geral da Presidência

Felipe Werneck, O Estado de S. Paulo

02 Fevereiro 2015 | 21h00

Atualizado às 22h33

Rio -O ministro Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da Presidência, foi vaiado e chamado de mentiroso por militantes do PSOL nesta segunda-feira, 2, ao afirmar, em discurso na 9.ª Bienal da União Nacional dos Estudantes (UNE), no Rio, que “não há reforma neoliberal e não há corte em nenhum programa social do povo brasileiro” no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff (PT).

“Esse é o discurso da direita”, declarou o ministro, enquanto parte da plateia presente gritava: “O povo não é bobo, o ministro é mentiroso”.

  Cerca de 600 pessoas lotaram o térreo da Fundição Progresso, na Lapa, centro do Rio, para acompanhar a fala de Rossetto sobre reforma política. O grupo estava dividido desde o início do debate. De acordo com a UNE, foi a “primeira grande reunião do novo ministro com movimentos sociais”.

 

 

 

À esquerda do palco, militantes de correntes ligadas ao PSOL criticavam o ajuste fiscal e o corte de direitos trabalhistas anunciados pelo governo Dilma, reeleita com o apoio de integrantes do PSOL. Em coro e usando instrumentos de percussão, eles já haviam interrompido algumas vezes o discurso de Rossetto com gritos como: “É o maior tarifaço que eu já vi; contra o ajuste da Dilma e do (Joaquim) Levy!” ; “Ô Rossetto, que palhaçada, cadê a reforma agrária!” e “O que que aconteceu? O governo Dilma abraçou a Kátia Abreu!”.

  O ministro reagiu pelo menos três vezes, afirmando que considerava “uma piração, uma maluquice total” a atitude dos críticos, mas acabou conseguindo terminar seu discurso. As vaias só vieram quando ele, já nas considerações finais, defendeu as medidas anunciadas pelo governo. Após o debate, Rossetto, molhado de suor, minimizou o embate. “Tão importante quanto as manifestações foram os aplausos”, concluiu.

 

Mais conteúdo sobre:
Miguel Rossetto PSOL UNE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.