Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Rollemberg assume governo do DF com rombo de R$ 3,8 bilhões

Situação financeira do Distrito Federal foi revelada depois das eleições; salários de servidores estão atrasados

NIVALDO SOUZA, O Estado de S.Paulo

01 Janeiro 2015 | 10h13

O novo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), toma posse na manhã desta quinta-feira, 1º de janeiro, com o desafio de superar uma grave crise nas contas públicas, avaliada pela sua equipe de transição em R$ 3,8 bilhões. Ele disse, após participar de uma missa na Igreja Dom Bosco, que solucionar a crise será o principal desafio de sua gestão. "Vamos trabalhar quatro anos para entregar uma Brasília melhor do que recebemos", disse.

A situação financeira do Distrito Federal se agravou depois das eleições. Somente após o pleito, no qual o candidato derrotado à reeleição, Agnelo Queiroz (PT), que ficou fora do segundo turno, a crise foi revelada.

Desde então o governo distrital passou a atrasar salários de servidores e o pagamento de empresas que prestam serviços ao governo. Agnelo sai do governo deixando uma dívida consolidada de mais de R$ 2 bilhões, comprometendo quase 15% da receita corrente líquida de 2015. O DF está entre as dez Unidades de Federação com o maior comprometimento orçamentário com amortização de dívidas.

O novo governador afirmou que a prioridade será efetuar pagamentos atrasados e reequilibrar as contas públicas. "Com certeza iremos fazer de tudo neste primeiro momento para equilibrar a economia a fim de não deixar nenhum salário atrasar", disse Rollemberg.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.