1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Roberto Teixeira diz que deu assessoria jurídica à compra do sítio

- Atualizado: 04 Fevereiro 2016 | 22h 34

Compadre de Lula afirma que a escritura da proriedade usada pelo ex-presidente em Atibaia (SP) foi lavrada em seu escritório porque Fernando Bittar e Jonas Suassuna são clientes antigos do escritório

O advogado e empresário Roberto Teixeira disse, por meio de sua assessoria, que a escritura do sítio usado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Atibaia (SP) foi lavrada em seu escritório porque Fernando Bittar e Jonas Suassuna são clientes antigos do escritório.

“Ambos já eram nossos clientes”, disse ele por email. Questionado sobre o fato de R$ 100 mil terem sido pagos em dinheiro em espécie, Teixeira deu uma resposta que contradiz a escritura. “A compra foi paga mediante cheques administrativos emitidos pelos compradores pelo valor total da venda, identificados na escritura”, disse Teixeira.

A escritura deixa claro que Suassuna pagou R$ 1 milhão em cheque e Bittar quitou R$ 400 mil também em cheque e R$ 100 mil “em boa moeda corrente”.

No interior de SP. Sítio sob investigação em Atibaia: comerciantes e prestadores de serviço dizem que reforma no local foi paga por OAS e Odebrecht
No interior de SP. Sítio sob investigação em Atibaia: comerciantes e prestadores de serviço dizem que reforma no local foi paga por OAS e Odebrecht

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX