Representantes de instituto confirmam ajuda de Padilha

Os representantes do Instituto Brasil de Arte, Esporte, Cultura e Lazer (Inbrasil) afirmaram que contaram com o apoio do ministro Alexandre Padilha, das Relações Institucionais, para viabilizar a aprovação dos convênios com o Ministério do Turismo. "Foi o ministro que deu a carta", disse o publicitário André Fratti, dono da Vibe Marketing e filho de Antônio Carlos Silva, diretor fiscal do instituto beneficiado por emendas parlamentares e pela carta de Alexandre Padilha.

AE, Agência Estado

10 Dezembro 2010 | 08h46

Um documento que leva a assinatura do ministro foi usado para aprovar convênios de R$ 3,1 milhões em favor da entidade. No entanto, o Inbrasil só existe no papel. A reportagem precisou ir à sede da Vibe, no Lago Sul, para obter informações sobre o Inbrasil. O instituto está registrado na casa da família de André Fratti. Ontem, ele recebeu a reportagem ao lado de Sérgio Eustáquio Assunção, presidente do Inbrasil.

"Houve um casamento: a gente (Vibe) precisava de outras fontes de recursos para o Festival de Inverno. E o instituto precisava de projetos", disse Fratti. Sua empresa fechou no fim de 2009 um contrato de R$ 320 mil com a Fundação Banco do Brasil para organizar eventos. Fratti contou ainda que a Vibe é a encarregada de executar os projetos do Inbrasil, que tem seu pai na direção. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.