Repasse de R$ 123 bi explica posição de tucanos

Os repasses federais explicam o tom conciliatório adotado pelos futuros governadores do PSDB em relação à presidente eleita, Dilma Rousseff. Nos próximos quatro anos, as transferências da União para os oito Estados que serão comandados pela oposição pode chegar a pelo menos R$ 123 bilhões, se mantido o ritmo atual.

AE, Agência Estado

17 Dezembro 2010 | 10h23

É difícil para um governador declarar oposição a um presidente, não importa o partido, quando depende financeiramente da União. Juntos, os Estados representados na reunião do PSDB receberam, em 2010, R$ 26 bilhões em transferências federais. E o ano ainda não terminou. Em 2009, os governos dos oito Estados levaram R$ 31 bilhões em repasses da União.

Não é nenhum favor de Brasília repassar essa verba. A maior parte dos recursos é fruto de direitos constitucionais e legais. Mas, além dos repasses, há verbas discricionárias, que o presidente pode ou não liberar para os Estados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.