Renúncia não integra minha personalidade, diz Renan

Senador anuncia próximas votações, em tentativa de sair do foco de denúncias

Agencia Estado

25 Junho 2007 | 15h54

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), reafirmou nesta sexta-feira, 22, que não deixará o cargo. Em rápida entrevista, ele disse que já foi enfático ao declarar que permanecerá na presidência da Casa. "Vou falar com mais ênfase ainda. Isso (renúncia) não faz parte da minha personalidade", afirmou. Renan disse que está tranqüilo, porque já apresentou provas de sua inocência às denúncias de ter suas despesas pessoais custeadas por lobista da empreiteira Mendes Júnior e de ter apresentado recibos falsos para comprovar renda. Renan, que presidiu a sessão desta manhã por 50 minutos, anunciou no plenário que na próxima semana colocará em votação as medidas provisórias que trancam a pauta e que pretende, também, votar o pacote antiviolência, os projetos sobre as Zonas de Processamento de Exportação (ZPEs) e ainda o projeto que regulamenta as relações de trabalho entre pessoas jurídicas (Emenda 3). Ele anunciou ainda que pretende votar projeto referente a Sudam e Sudene. "São compromissos fundamentais e a Casa assumiu a responsabilidade de resolver, e o faremos na próxima semana", afirmou Renan. A retomada das votações é uma forma de o presidente do Senado tentar sair do foco de denúncias e de diminuir as repercussões do processo contra ele, no Conselho de Ética da Casa. A sessão de sexta-feira estava completamente esvaziada, com pouquíssimos senadores se revezando no plenário. Ao final da sessão estava no plenário apenas o senador Gilvan Borges (PMDB-AC), aliado de Renan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.