Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Relator da Lava Jato no Supremo recomenda investigação ágil e eficiente contra Cunha

Ministro Teori Zavascki acatou nesta quinta pedido de abertura de um novo inquérito contra o peemedebista por corrupção e lavagem 

Gustavo Aguiar, O Estado de S. Paulo

16 Outubro 2015 | 11h21

Brasília - Ao autorizar na quinta-feira, 15, a abertura de inquérito contra o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a mulher e uma das filhas do parlamentar, o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), recomendou que a atuação do Ministério Público e das autoridades policiais "se desenvolva de forma harmoniosa" e que vise "a busca da verdade a respeito dos fatos investigados, pelo modo mais eficiente e seguro em tempo mais breve possível". 

Teori, que é relator da Lava Jato no STF, acatou o novo pedido de investigação contra Cunha e familiares do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O pedido tem como base os documentos que mostram que Cunha, a filha dele, Danielle da Cunha, e a esposa, Claudia Cruz, são beneficiários finais em contas secretas na Suíça. Pesam contra o presidente da Câmara acusações de corrupção e lavagem de dinheiro.

Os documentos foram enviados pelo Ministério Público da Suíça ao Brasil e revelam que um negócio da Petrobrás em Benin, na África, irrigou as contas do parlamentar e de seus familiares. As autoridades do país europeu bloquearam em abril um valor que, em reais e no câmbio atual, chega a R$ 9,6 milhões. 

Segundo os documentos, a conta aberta na Suíça em nome de Cláudia foi usada para pagar despesas pessoais da família do parlamentar. A movimentação dela serviu para pagar faturas de cartão de crédito, academia de tênis na Flórida e cursos na Espanha e no Reino Unido.

Entre 4 de agosto de 2011 e 15 de fevereiro de 2012, foram transferidos US$ 119,795 mil da conta de Cláudia à universidade espanhola Esade. A filha de Cunha, que é apontada como dependente em uma das contas, fez MBA na instituição no mesmo período dos pagamentos, entre agosto de 2011 e março de 2013. 

A conta secreta da esposa do parlamentar também pagou US$ 8,405 mil para a Malvern College, em maio de 2008, escola no Reino Unido. Os gastos incluem um curso na famosa escola de tênis de Nick Bolletieri, a IMG Academies, que tem como ex-aluna a premiada Maria Sharapova. A escola, que tem várias unidades nos Estados Unidos, tem sede na Flórida.

Defesa. Nesta quinta-feira, 15, o presidente da Câmara disse que a abertura de um novo inquérito é positivo porque lhe dá chances de ter acesso às denúncias e se defender. "Na medida em que pede instauração de inquérito, a gente vai poder ter acesso. Não vejo como problema, pelo contrário, vejo como solução. É bom que tenha um instrumento para que a gente possa ter ciência e se defender", comentou.

Em agosto, Cunha já havia sido denunciado pro Janot por suspeita de ter recebido pelo menos US$ 5 milhões por contratos de aluguel de navios-sonda pela Petrobras. Ele nega ser beneficiário no esquema de corrupção investigado pela Lava Jato.

Cunha disse desconhecer os termos do aditamento da denúncia que incluiu, também nesta quinta, a delação de Fernando Soares, o Fernando Baiano, mas acredita que essa inclusão pode "fortalecer" sua defesa. "Significa que o processo não estava maduro há 60 dias."

Mais conteúdo sobre:
STF Zavascki

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.