1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail
http://topicos.estadao.com.br/operacao-lava-jato

Reformas foram 'surpresa' de amigos para Lula, diz Carvalho

- Atualizado: 07 Março 2016 | 12h 00

Ex-chefe de gabinete no governo do petista critica direcionamento das investigações da Lava Jato e ataca adversários: 'Andrade Gutierrez é a casa de Aécio Neves'

 
 

 

Ao defender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva das acusações de ocultação de patrimônio nos casos do sítio em Atibaia e do triplex no Guarujá, o ex-chefe de gabinete da Presidência Gilberto Carvalho disse que o líder petista não tinha conhecimento das reformas nos dois imóveis feitas por construtoras envolvidas no esquema de corrupção e formação de cartel na Petrobrás.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, Carvalho também questionou o direcionamento das investigações da Operação Lava Jato e atacou o senador Aécio Neves (MG), presidente nacional do PSDB. “Todo mundo sabe que a Andrade Gutierrez é a casa do senhor Aécio Neves, é quem banca Aécio Neves”, disse ele, que também foi ministro da Secretaria-Geral da Presidência no primeiro mandato de Dilma Rousseff.

À Folha, Carvalho disse que as melhorias feitas nos imóveis em Atibaia e Guarujá seriam uma “surpresa” de amigos ao ex-presidente. “Estava chegando o final do ano (e do segundo mandato de Lula na presidência) e queriam dar esse presente para ele ter um lugar para descansar”, disse, sobre o sítio de Atibaia. “O negócio da torre da Oi eu nem sei, não posso falar, mas da reforma, que teve a participação da Odebrecht, não foi o Lula que pediu”, disse.

Ao falar sobre o apartamento tríplex na praia do Guarujá, o ex-ministro afirmou que Lula “tinha comprado um apartamento lá trás, e aí a OAS quis inventar de fazer uma puta de uma melhora naquele apartamento para oferecer a ele como valorização daquele imóvel”.

Carvalho disse ter ouvido do ex-presidente que ele esteve no apartamento para ver se concluía a compra, mas desistiu. “A OAS queria agradá-lo, mas ele chega, olha pro mar, e diz: 'Isso seria uma prisão, uma torre de marfim, uma prisão, eu nunca poderei atravessar a rua e ir para a praia'”.

Na opinião de Carvalho, a condução coercitiva de Lula na última sexta-feira, 4, durante a Operação Aletheia, 24ª fase da Lava Jato, foi “totalmente desnecessária” e uma violência gratuita”. Segundo ele, Lula nunca se negou a a depor. “Podiam ter feito com ele o que fizeram com Fernando Henrique, em que a PF foi colher em casa o depoimento dele gentilmente e discretamente em um processo do qual ele é citado como testemunha”, disse.

Carvalho considera que “a sociedade vai compreender” se houver reequilíbrio e ficar claro que a Lava Jato busca o combate à corrupção, e não uma “perseguição” a Lula. Mas, segundo ele, se houver um “direcionamento persecutório de uma força política”, pode haver um processo de “justiçamento”, de justiças com as próprias mãos e “haverá um ódio progressivo”. “Eu só espero que eles não briquem com fogo”, disse ele, sobre a possibilidade de prisão de Lula e a consequente reação de militantes e aliados do petista.

Aécio. A citação a Aécio foi feita quando o ex-ministro, um dos assessores mais próximos de Lula, disse esperar que as delações premiadas feitas no bojo das investigações da Lava Jato “deixem de ser um instrumento de perseguição de um partido político”.

“Se a delação da Andrade Gutierrez for direcionada apenas contra o PT, esse escândalo vai ser insuportável, porque vai ser a confissão final de que a Lava Jato é dirigida contra o PT. Pois todo mundo sabe que a Andrade Gutierrez é a casa do senhor Aécio Neves, é quem banca Aécio Neves”, disse.

Em nota, o senador Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado, afirmo que as declarações absurdas do senhor Gilberto Carvalho não merecem sequer resposta do presidente do partido, e classificou as declarações de Carvalho como "desastrosas". "Mas, como líder do partido no Senado, afirmo que tais afirmações são vergonhosas e revelam apenas o seu desespero e medo do que pode vir nas próximas delações."

Confira a nota completa: 

As declarações absurdas do senhor Gilberto Carvalho não merecem sequer resposta do presidente do PSDB. Mas, como líder do partido no Senado, afirmo que tais afirmações são vergonhosas e revelam apenas o seu desespero e medo do que pode vir nas próximas delações.

A estratégia de se tentar envolver, sem nenhum fundamento, nomes da oposição no escândalo da Lava Jato já foi desmontada pela PGR e pelo Supremo ao arquivar falsas citações feitas a nomes da oposição .

O sr Gilberto Carvalho vale-se da máxima de que o ataque é a melhor defesa. Nesse caso, não será. Só ele sabe porque teme tanto a delação da Andrade Gutierrez e porque tenta, de antemão, desqualificá-la.

Melhor faria se aproveitasse o espaço que a imprensa lhe oferece para explicar os novos fatos referentes ao assassinato do ex-prefeito Celso Daniel - assunto que, dizem, ele conhece de perto - e sua participação na venda de medidas provisórias no governo.

Isso além responder às acusações que já lhe foram feitas, inclusive no Ministério Público, pela deputada Mara Gabrili, filha de um tradicional concessionário de ônibus em Santo André, que afirmou que ele era conhecido na cidade como o homem do carro preto, responsável pela arrecadação de propina para o PT já naquela época.

A estratégia do PT de criar falsa polêmica com a oposição para desviar o foco da realidade não vingará. O problema do PT é com a polícia e a Justiça.

 

http://topicos.estadao.com.br/operacao-lava-jato
Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX