1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Eleições 2014

PTB anuncia apoio a Dilma e garante 1 minuto em propaganda eleitoral

ERICH DECAT - Agência Estado

21 Maio 2014 | 20h 34

Presidente elogia partido em almoço com o ex-presidente Fernando Collor e o senador Gim Argello e comete gafe ao trocar nome da sigla pelo do PDT

Brasília - O PTB anunciou oficialmente nesta quarta-feira, 21, apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff, somando-se a PT e PSD na lista de siglas já confirmadas na coligação. A legenda deve garantir cerca de 1 minuto a mais no tempo de rádio e TV da petista.

A presidente participou do almoço com integrantes do PTB. na sede da legenda. Dilma dividiu a mesa com o presidente da sigla, Benito Gama, e os senadores Gim Argello (DF) - que o governo apoiou para uma vaga no Tribunal de Contas da União, mas recuou após ministros do TCU apontarem que o parlamentar responde a processos na Justiça - e Fernando Collor de Mello (AL), entre outros.

Dilma disse que "geralmente o povo sabe o que está em jogo" nas eleições. "Essa é a aliança fundamental, a aliança feita com os interesses da população. Fico muito feliz de, nesta eleição, ter o apoio do PTB, e estar aqui, hoje", discursou.

A presidente aproveitou para defender a candidatura do senador petebista Armando Monteiro ao governo de Pernambuco, reduto do presidente do PSB, Eduardo Campos, pré-candidato ao Planalto. "Ele pode contar, e ele sabe disso, com todos nós. Porque ele representa um processo muito adequado para Pernambuco."

Troca de partido. Ao fazer referencias sobre a importância de se aliar a um partido trabalhista, Dilma cometeu uma gafe. "Ter a lealdade do PDT... do PTB nesta mudança. Aliás, eu falei PDT porque tem um detalhe aqui que talvez vocês não saibam, eu fui do PTB. Teve um período entre a criação do PTB e a criação do PDT no qual eu fui do PTB", consertou.

No almoço, a presidente do PTB Mulher e filha do ex-deputado preso Roberto Jefferson, Cristiane Brasil, citou o caso Petrobrás para defender Dilma. "Agora, ela (Dilma) é o alvo pela compra de Pasadena. Ela errou, errou, errou: CPI nela. E o Jorge Gerdau Johannpeter? Fazia parte do Conselho da Petrobrás, e não vi uma linha sobre ele." O empresário divulgou nota, publicada pela imprensa, na qual defendia a aprovação do negócio por parte do conselho.

Eleições 2014