1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

PT vai comemorar aniversário com festa e samba no Rio

- Atualizado: 23 Fevereiro 2016 | 23h 32

Na noite de sábado, 27, com a presença do ex-presidente Lula e de Dilma, 3 mil petistas assistirão ao show do sambista Diogo Nogueira e da bateria da Portela

RIO - As investigações da Operação Lava Jato, que atingem importantes líderes do PT, e a fragilidade do governo da presidente Dilma Rousseff, não impediram o partido de comemorar com festa e samba o aniversário de 36 anos da legenda. Na noite de sábado, 27, com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma, 3 mil petistas assistirão ao show do sambista Diogo Nogueira e da bateria da Portela, no Armazém da Utopia (zona portuária do Rio).

A festa acontece no momento em que a Lava Jato intensifica as investigações sobre o sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), frequentado por Lula e sua família. O Ministério Público e a Polícia Federal apuram por que empreiteiras como Odebrecht e OAS, que têm contratos com a União, fizeram obras na propriedade. O tom da comemoração petista será de defesa e apoio a Lula e denúncia do que os petistas consideram perseguição a seu maior líder.

Por volta das 19 horas, os militantes e dirigentes partidários ouvirão o discurso de Lula. Dilma, que enfrenta forte resistência da base petista a propostas como a reforma da previdência, fará uma saudação ao partido e à militância. Em seguida, haverá parabéns com bolo e a apresentação dos artistas. “É como se fosse um showmício. Como não estamos em período eleitoral, não há nenhum impedimento. Estamos sofrendo uma política de cerco e temos que estimular nosso pessoal a não se abater com o denuncismo”, diz o vice-presidente do partido e secretário de Comunicação, Alberto Cantalice.

O desagravo a Lula começará na véspera da festa, em reunião do Diretório Nacional, que acontecerá em um hotel do centro do Rio. Os dirigentes deverão registrar em documento o repúdio ao que apontam como ataques ao partido e ao presidente que promoveu distribuição de renda e redução da pobreza. “Lula é uma instituição brasileira, o que se está fazendo com ele é uma vergonha para o Brasil”, afirma o presidente do PT-RJ, Washington Quaquá.

O futuro do senador Delcídio Amaral (PT-MS), preso pela Lava Jato em dezembro de 2015 e solto na semana passada, também será discutido no Diretório Nacional. O senador, suspeito de dificultar as investigações, foi suspenso por 60 dias pela Executiva Nacional.

Os dirigentes petistas não informaram quanto custará a comemoração pelo aniversário do partido. A assessoria de Diogo Nogueira não informou o cachê cobrado pelo cantor. Disse que será “um show como outro qualquer, de conteúdo profissional” e que Diogo não tem vínculo com o PT. O portal Rio Transparente, da prefeitura, informa que, no carnaval do ano passado, foram pagos R$ 95 mil para o show do sambista e sua banda no Terreirão do Samba.

Embora o PT tenha rompido com o PMDB no Estado do Rio, na eleição de 2014, o governador peemedebista Luiz Fernando Pezão foi convidado para a festa. Ainda não confirmou presença, mas certamente receberá a presidente Dilma na base aérea, no início da noite de sábado.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX