1. Usuário
Assine o Estadão
assine

PT não decide sobre cargos no governo Campos

ANGELA LACERDA - Agência Estado

17 Fevereiro 2014 | 21h 33

Foi adiado para esta quarta-feira, 19, a decisão da executiva estadual do PT pernambucano em relação aos petistas que continuam ocupando cargos no governo Eduardo Campos (PSB). Não houve quorum para a reunião que iria deliberar sobre abertura de processo disciplinar para quem não acatar a determinação partidária de entrega dos cargos.

Segundo a presidente do PT-PE, Teresa Leitão, era necessária a presença de 11 integrantes da executiva. A reunião estava marcada para as 18 horas. Quando o quorum foi alcançado, às 19h40, duas pessoas já haviam saído. "O fuso horário do PT é incerto", observou Leitão. Ela não quis adiantar o numero de filiados que se mantém no governo Campos, mas antecipou que muitos já pediram exoneração.

O cargo mais emblemático é o do presidente do diretório do PT no Recife, Oscar Barreto, que é secretário executivo da secretaria estadual de Agricultura. Barreto defende que o PT lance candidatura própria ao governo do Estado e colocou seu nome como opção.

A alternativa mais provável é a de apoio à candidatura do senador

Armando Monteiro Neto (PTB), contra o candidato de Eduardo Campos à sua sucessão.

O PT decidiu entregar os cargos em Pernambuco há quatro meses, depois que o ex-aliado PSB deixou o governo Dilma diante da pretensão de Campos disputar a presidência da Republica.

Teresa Leitão afirmou que a deliberação sobre os cargos ocupados por petistas nos municípios caberá aos diretórios municipais. Na prefeitura do Recife, sob o comando do socialista Geraldo Julio, estima-se que há cerca de 30 petistas.