1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Eleições 2014

PT deverá combater a mentira e desinformação, diz Dilma

CARLA ARAÚJO, JOSÉ ROBERTO CASTRO, ANA FERNANDES E ELIZABETH LOPES - Agência Estado

27 Junho 2014 | 13h 46

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira, 27, que a era do PT no governo, que começou em 2003 com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mudou a história do País, que ele é "o maior símbolo da capacidade do nosso povo" e que não há nada que possa "nos envergonhar nesses últimos 11 anos de governo", disse, durante a convenção do PT-BA, em Salvador. "Eu e Lula fizemos muitas coisas neste País e temos de nos orgulhar", completou.

Segundo a presidente, o pleito de outubro, quando ela concorre à reeleição, terão "momentos muito difíceis", já que os adversários apelam para o ódio, o xingamento e a política desqualificada. "Quem não tem argumentos apela. (A oposição) usa todos os artifícios, especialmente a mentira", disse. Para Dilma, a militância petista tem que estar "muito alerta" para combater "a mentira e a desinformação nesta eleição".

Citando a Copa do Mundo, que está sendo realizada no Brasil, Dilma afirmou que muitas pessoas pregavam que o Mundial não aconteceria ou seria um fracasso e que mentiram "sistematicamente contra a Copa". "(Diziam que) seria um fracasso porque os estádios não estavam prontos", destacou. "Todo mundo chegou aos estádios, que ficaram prontos".

Dilma falou ainda da situação dos aeroportos brasileiros e afirmou que não há registro de problemas no transporte durante o Mundial e que "os aeroportos estão aí, com voos saindo dentro da normalidade". "Em Brasília saíram 70 aviões depois do jogo (Brasil), sem nenhum atraso", afirmou.

Para a presidente, além de mentirem sobre a Copa houve também uma subestimação do povo brasileiro, "que está dando um show de bola nos estádios com nossa seleção e fora dos estádios com nossa capacidade de sermos generosos, hospitaleiros e alegres". "Temos visto cenas fantásticas de amizade entre brasileiros e turistas de todo o mundo", disse.

Dilma lembrou uma cena "fantástica e muito simbólica" que aconteceu em Porto Alegre, antes do jogo de Holanda e Austrália, quando uma banda holandesa de torcedores tocou "Aquarela do Brasil" com a banda da Brigada Militar. O vídeo, registrado por presentes, caiu na internet. "Isso só acontece aqui nesta terra, só aqui neste País".

Ela usou seu discurso também para exaltar a candidatura de Rui Costa ao governo baiano e afirmou que um "bom combate" contra a oposição é eleger a chapa composta por Rui Costa e o João Leão.

Dilma exaltou o Estado e disse que a Bahia é a terra mãe de um Brasil que tem a diversidade e a miscigenação como características. "O Brasil começou aqui (Bahia) e quero agora que vocês me ajudem com um axé", disse aos militantes. "Estar na Bahia com essa força é muito bom, com o axé e a força que emana de cada um", afirmou.

O candidato ao governo estadual, Rui Costa, discursou antes da presidente. Ele se emocionou ao falar do seu passado humilde e lembrar a mãe que morreu de câncer. Costa levantou a bandeira da reforma política, que chamou de "mãe das reformas", e criticou a "elite brasileira" e "aqueles que não gostam de pobre". O candidato, ex-secretário da Casa Civil de Jaques Wagner, citou o Vale Cultura lançado pelo governo Dilma como exemplo de inclusão social.

Eleições 2014