PT defende liberdade de imprensa em propaganda

Cercado de um grupo de jovens, presidente do PT diz que partido está 'aberto a novas ideias'

Daiene Cardoso - Agência Estado

15 Maio 2012 | 20h07

O presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão, aparece em uma das inserções do partido no rádio e na TV defendendo a liberdade de expressão. "Somos totalmente abertos às novas ideias", diz o petista, cercado de um grupo de jovens. Recentemente, Rui Falcão sugeriu que o governo Dilma Rousseff colocasse em discussão o polêmico tema do marco regulatório da comunicação.

A inserção faz parte da série de peças veiculadas nesta terça pelo partido após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) liberar um tempo da propaganda partidária na TV e no rádio que a sigla já havia dado como perdido. As outras peças são estreladas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por sua sucessora Dilma Rousseff e pelo pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, apresentado nas inserções como ex-ministro da Educação. "Inovamos na política, na economia e no social", disse Falcão.

Renovação é o mote das inserções do PT. "O PT veio para mudar, inovar e renovar o Brasil", afirmam Lula, Dilma e Haddad em outras duas inserções. O objetivo da propaganda é tornar o pré-candidato petista mais conhecido e atrelar sua figura a Lula e Dilma. O slogan da propaganda é "só se renova quem traz o novo".

Na peça em que Dilma aparece, o marqueteiro João Santana optou por abordar os temas sociais. "Quando lançamos o Bolsa-Família, surpreendemos o mundo com algo novo", afirmou Lula. "Lançar o Brasil sem miséria para acabar com a pobreza extrema no País, foi uma atitude nova", emendou Dilma.

Coube a Lula tocar no tema da juventude e abrir espaço para a participação de Haddad. "Cuidar de todos, em especial dos jovens, será sempre o justo, o moderno, o novo", disse Lula. "Criar o ProUni, escolas técnicas, dobrar vagas nas universidades e dar bolsas para estudantes brasileiros no exterior, é fazer o futuro, é fazer o novo", acrescentou o ex-ministro.

Mais conteúdo sobre:
eleições PT propaganda Falcão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.