1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Mensalao

PT de Osasco faz desagravo para João Paulo Cunha

MATEUS COUTINHO - Agência Estado

15 Janeiro 2014 | 21h 49

Enquanto João Paulo Cunha aguarda a expedição do seu mandado de prisão, o diretório municipal do PT de Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo, marcou para esta quinta-feira, 16, um evento de desagravo ao ex-presidente da Câmara. As principais lideranças da sigla, contudo, ainda não confirmaram presença no ato.

De acordo com o presidente do diretório municipal, José Pedro, a iniciativa servirá para o parlamentar lançar na cidade, seu principal reduto eleitoral, a revista na qual critica o julgamento do mensalão." Ele quer passar a versão dele para as bases da região, colocar a versão dos fatos como ela é", disse José.

O ato está previsto para ser realizado às 18 horas, na Associação Atlética Floresta.

Ainda segundo o diretório municipal, foram convidados para o evento o presidente da sigla, Rui Falcão, o presidente do diretório estadual de São Paulo, Emídio de Souza, além de deputados e vereadores petistas. Até o momento, contudo, apenas seis vereadores do partido em Osasco e o vice-prefeito da cidade, o petista Valmir Prascidelli confirmaram presença.

Contatado pela reportagem, o escritório de João Paulo Cunha não confirmou se ele vai participar do evento, que deve ocorrer mesmo sem a sua presença.

Condenado a 9 anos e 4 meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro - crime pelo qual ele teve os embargos infringentes aceitos -, corrupção passiva e peculato, Cunha lançou em dezembro uma revista na qual critica o julgamento do mensalão. Desde então, ele tem aproveitado eventos do partido e até o plenário da Câmara para criticar o processo e, principalmente, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, relator do mensalão.

O PT, por sua vez, tem evitado se posicionar publicamente em defesa dos presos no mensalão.

Por decisão do STF, os processos por corrupção passiva e peculato foram considerados transitados em julgado e Barbosa já poderia ter expedido o mandado de prisão de Cunha. O presidente do STF, contudo,saiu de férias sem expedir o mandado de prisão de Cunha. Com isso, o petista só deve ser preso após o ministro voltar do recesso.

Mensalao

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo