PT aprova pontos da reforma com total apoio do diretório

Dirétório do partido aprova os quatro pontos por 64 votos a zero, nesta segunda-feira

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 12h52

A decisão do Diretório Nacional do PT de reafirmar o fechamento de questão em relação aos quatro pontos principais da reforma política foi aprovada, na reunião desta segunda-feira, 18, por 64 votos a zero. Houve duas abstenções. O fechamento de questão significa, na linguagem parlamentar, que cada um dos deputados do partido está obrigado a votar de acordo com a decisão, sob pena de punição. Os quatro pontos da reforma que o PT considera essenciais são: a instituição da lista fechada de candidatos, a ser apresentada ao eleitor por cada partido nas eleições proporcionais; o financiamento público de campanha; a fidelidade partidária e o fim das coligações partidárias proporcionais. o Diretório Nacional do PT decidiu reafirmar o apoio ao voto em lista fechada de candidatos, ao financiamento público de campanha, à fidelidade partidária e ao fim das coligações proporcionais na proposta de reforma política. O presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), admitiu, no entanto, que, diante do impasse em torno de criação da lista fechada, a lista flexível pode ser uma alternativa. "De qualquer forma, se houver condições de avançarmos em direção à lista pré-ordenada (fechada), será melhor para o País", afirmou Berzoini. O PT manteve, na prática, o fechamento de questão em torno desses quatro pontos, que considera essenciais na proposta de reforma política. A discussão sobre a reforma volta a debate nesta terça-feira, 19, após ter sido adiada na semana passada, sem consenso dos partidos nos principais pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.