Antonio Milena/AE
Antonio Milena/AE

PSOL fará plantão para avaliar cassação de citados na Lava Jato

Deputado Ivan Valente (SP), informou que assessores e outros deputados da sigla vão passar o fim de semana analisandor caso a caso dos inquéritos que o Supremo deve divulgar nesta sexta

Fábio Brandt, O Estado de S. Paulo

06 Março 2015 | 17h08

Brasília - Na expectativa de que o ministro Teori Zavascki, do STF, retire o sigilo dos pedidos de inquérito contra parlamentares envolvidos na Lava Jato, o deputado federal Ivan valente (PSOL-SP) afirma que os assessores de seu partido e os próprios deputados farão uma espécie de "plantão" no fim de semana. O objetivo, segundo ele, é avaliar o teor das acusações contra os políticos para saber se é cabível um processo de cassação de mandato dentro do Congresso.

"Vamos analisar se o procurador poderia já ter pedido o indiciamento e não pediu. Vamos analisar caso a caso", afirma Valente. Segundo ele, o PSOL não se compromete a pedir automaticamente a cassação dos políticos que estão na lista porque, primeiro, o partido quer conhecer essas acusações. "Para alguns, pode haver provas mais consistentes. Para outros, provas menos consistentes", argumenta.

Valente afirma que o PSOL tentará convocar todos os políticos que estiverem na lista para depor na CPI da Petrobrás aberta pela Câmara. "Quem estiver na lista, o PSOL propõe que seja convocado: deputado, senador, presidente do Congresso, presidente da Câmara. Isso já é um palco em que vão ter que se explicar. Não precisa ser necessariamente no Conselho de Ética. Mas, se a acusação for muito grave e explícita, podemos pedir Conselho de Ética", afirma em referência ao colegiado que pode conduzir, dentro da Câmara e do Senado, os processos de cassação.

Segundo noticiado nessa quinta-feira pelo Estado, políticos com mandato são maioria entre as pessoas que a Procuradoria-Geral da República pediu para o STF investigar - cerca de 45 dos 54 nomes da lista enviada ao Supremo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.