Assine o Estadão
assine

Política

Petrobrás

PSDB vai à Justiça pela extinção do PT

Argumento dos tucanos é que campanha de Lula em 2006 teria recebido dinheiro do exterior, o que é proibido; informação foi dada por Nestor Cerveró

0

Beatriz Bulla e Igor Gadelha,
O Estado de S. Paulo

21 Janeiro 2016 | 03h00

BRASÍLIA - O PSDB protocolou nesta quarta-feira, 20, na Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE) uma representação com pedido para investigar informações prestadas pelo ex-diretor de Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró sobre o abastecimento da campanha presidencial do PT de 2006.

Na manifestação à Justiça, o partido pede ainda que seja aberta uma ação de extinção do PT caso as declarações do delator e ex-dirigente da estatal sejam confirmadas pela investigação. O argumento dos tucanos é que eventual recebimento de dinheiro do exterior para uso na campanha eleitoral, conforme apontado por Nestor Cerveró aos investigadores da Operação Lava Jato, é vedado pela Constituição Federal de 1988 e gera como consequência a perda do registro partidário.

Em documentação entregue à Procuradoria-Geral da República antes do acerto da delação premiada, firmado no fim do ano passado, o ex-diretor da Petrobrás afirmou que a campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de 2006 recebeu R$ 50 milhões em propina oriundos de uma negociação para a compra de US$ 300 milhões em blocos de petróleo na África em 2005. As informações foram divulgadas pelo jornal Valor Econômico em 18 de janeiro.

O Instituto Lula informou na ocasião que “não comentaria supostas delações premiadas, quanto mais supostos acordos de delação, vazados de forma seletiva, parcial e provavelmente ilegal que alimentam um mercado de busca por benefícios penais e manchetes sensacionalistas”.

Comentários