1. Usuário
Assine o Estadão
assine

PSB confirma apoio a Alckmin e garante a vice

O Estado de S.Paulo

20 Junho 2014 | 02h 01

O PSB paulista confirma hoje, durante a convenção do partido, o apoio à reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB) com a garantia de que ocupará a vice na chapa do tucano. Ontem, o presidente estadual do PSB, deputado Márcio França, se encontrou com Alckmin para bater o martelo sobre o assunto.

O governador não vai comparecer ao ato, mas enviará um representante para chancelar o acordo. Essa decisão afasta o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) da coligação com o PSDB, já que ele também pleiteava a vaga de vice. No PSB, o nome mais provável para assumir o posto é o de França, que foi secretário de Turismo de Alckmin.

O ato de hoje não vai contar com a presença do pré-candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, e de sua vice, Marina Silva, que defendiam que a sigla lançasse candidato próprio no maior colégio eleitoral do País.

A assessoria do presidenciável creditou a ausência no ato a uma incompatibilidade de agenda. Enquanto integrantes do PSB estarão reunidos na Assembleia Legislativa durante a manhã de hoje, Campos participará da gravação do programa da Luciana Gimenez, da Rede TV. Marina, por sua vez, preferiu ir à outra convenção da sigla, no Amazonas, para oficializar a candidatura do deputado Marcelo Ramos ao governo do Estado.

Miro. A dez dias para o prazo final das convenções partidárias, Campos e Marina enfrentam um novo problema na montagem de seus palanques estaduais. Ontem, o deputado Miro Teixeira (PROS-RJ) desistiu de disputar o governo do Rio. Em carta, disse que não há "ambiente" para uma coligação entre PROS e PSB. Um dia antes, Campos havia reiterado, em visita à favela da Mangueira, que as duas siglas estariam juntas no Rio.

Segundo o deputado, a ausência de líderes do PSB na comunidade tornou evidente a resistência da sigla à aliança. Na avaliação do PSB fluminense, a candidatura de Miro não havia decolado, Por isso, nas últimas semanas, começaram a conversar com outros candidatos ao governo.

Hoje, membros da Executiva devem se encontrar com o pré-candidato do PT, Lindbergh Farias. O petista vai sinalizar que a sigla está disposta a dar a vaga no Senado para Romário (PSB-RJ). A aliança com Lindbergh tem aval do PT e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No PSB, é vista como uma boa ideia pelas lideranças da sigla, mas encontrará resistência na base. / ISADORA PERON, RICARDO CHAPOLA, RICARDO GALHARDO, PEDRO VENCESLAU e LUCIANA NUNES LEAL

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo