1. Usuário
Assine o Estadão
assine


PROS desiste de Alckmin e decide apoiar Skaf na disputa pelo governo de SP

Pedro Venceslau e Ricardo Chapola - O Estado de S.Paulo

08 Maio 2014 | 10h 00

Partido, que negociava com governador, deverá ser o primeiro a anunciar, nesta terça, apoio ao pré-candidato do PMDB

SÃO PAULO - Presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e pré-candidato do PMDB ao governo paulista, Paulo Skaf vai receber nesta quinta-feira, 8, o primeiro apoio partidário à sua candidatura. Criado no ano passado, o PROS, que conta com 20 parlamentares na Câmara dos Deputados, vai anunciar nesta tarde a aliança com o peemedebista.

Com a adesão do PROS a sua chapa, Skaf amplia o tempo que terá de exposição no horário eleitoral gratuito, determinado pela representatividade dos partidos coligados na Câmara. Quanto mais deputados, mais tempo de TV uma legenda agrega à coligação eleitoral.

Sem nenhum apoio, o presidente da Fiesp contaria 3m14s provenientes do PMDB. A chegada do PROS na chapa acrescenta 27 segundos ao tempo de TV de Skaf, fazendo com que ele tenha agora 3m27s.

A ida do PROS para o time de Skaf prejudicou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que disputa a reeleição. O tucano já contava como certa a aliança com o partido. Ao perder o aliado, Alckmin agora vê a sua vantagem no tempo de TV diminuir sobre o concorrente do PT ao governo paulista, Alexandre Padilha. Sem o apoio do PROS, o governador terá 5m40s na propaganda eleitoral, contra 5m12s de Padilha. O petista pode ultrapassar Alckmin no tempo de TV se fechar com o PP, do deputado Paulo Maluf. Esse cenário faria com que Padilha tivesse 48s a mais do que o tucano.

Skaf ainda negocia o apoio do ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD), que também está sendo assediado pelo PSDB de Alckmin.