Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Política » Promotores devem denunciar Lula por tríplex no Guarujá

Política

Heinrich Aikawa|Instituto Lula

Promotores devem denunciar Lula por tríplex no Guarujá

Investigação conduzida pelo Ministério Público paulista diz que casal é parceiro de empreiteira em imóvel no litoral

0

O Estado de S. Paulo

23 Janeiro 2016 | 20h36

O Ministério Público do Estado de São Paulo deve denunciar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua mulher, Marisa Letícia, por ocultação de propriedade. Os promotores acreditam ter reunido provas suficientes para comprovar que o casal é dono de um tríplex reformado e mobiliado pela OAS no Guarujá, litoral paulista.

De acordo com o promotor Cássio Conserino, que conduz as investigações, as provas reunidas “apontam para a possibilidade de uma denúncia”, em prol do interesse público.

A OAS é uma das empreiteiras envolvidas na operação Lava Jato. Segundo um dos promotores responsáveis pela investigação, o entendimento do Ministério Público é de que o imóvel no Guarujá é a “evidência material” mais visível da ligação de Lula com empresários denunciados e condenados na operação. 

Reportagem da revista Veja cita que teve acesso a um documento que embasa a denúncia que será oferecida contra Lula e que nele há provas de que ele é proprietário do tríplex. O promotor Conserino afirmou à revista que, além de Lula, a mulher dele também será denunciada. 

A construção do prédio em que fica o tríplex foi assumida pela OAS depois da falência da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop). Isso teria ocorrido depois de um pedido de Lula a Léo Pinheiro, ex-presidente da empreiteira condenado pela Justiça com base nas investigações da Operação Lava Jato.

Defesa. O Instituto Lula, presidido por Paulo Okamotto, afirma que o promotor Conserino “violou a lei e até o bom senso ao anunciar, pela imprensa, que apresentará denúncia contra o ex-presidente Lula e sua esposa antes mesmo de ouvi-los”. 

Conserino avalia, no entanto, que a denúncia não foi antecipada. “Oxalá os investigados consigam refutar toda a gama de prova testemunhal, circunstancial e documental que apontam para possível crime de lavagem de dinheiro, entre outros”, afirmou o promotor, em resposta ao Instituto Lula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.