1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Programa de Pezão volta a ignorar proibição

Estadão Conteúdo

25 Agosto 2014 | 15h 54

Apesar da decisão liminar do desembargador Wagner Cinelli que proíbe desde sexta-feira o governador e candidato à reeleição pelo PMDB, Luiz Fernando Pezão, de fazer campanha em prédios públicos, o programa eleitoral do peemedebista veiculado nesta segunda-feira voltou a exibir Pezão com moradores em uma biblioteca construída pela atual gestão em Manguinhos, na zona norte do Rio.

A ação foi movida pela coligação do candidato do PT ao governo, o senador Lindbergh Farias. Está prevista multa diária de R$ 5 mil a cada vez que a decisão judicial for desrespeitada. No vídeo, Pezão aparece rodeado por moradores, inclusive crianças, que elogiam a obra na comunidade. "Você é `pezinha''", diz o candidato do PMDB a uma menina, depois de colocar o seu pé ao lado do dela. Antes, o governador apareceu ao lado da mulher, tomando café da manhã no apartamento do casal em Laranjeiras, na zona sul do Rio. Também foram exibidos depoimentos gravados pelos pais do governador.

O candidato do PR ao governo, Anthony Garotinho, concentrou sua fala em promessas, caso seja eleito: construir 40 mil casas, 40 restaurantes populares e reduzir em 50% o valor cobrado pelo IPVA, o imposto para proprietários de carros. Marcelo Crivella, do PRB, prometeu construir escolas de tempo integral em modelo inspirado em iniciativa realizada na Bahia e o candidato do PSOL, Tarcísio Motta, criticou "perseguições políticas" contra sindicalistas e afirmou que irá mudar o atual modelo de educação.

Lindbergh Farias voltou a dizer que pretende "derrubar o muro que separa o Rio do cartão postal do Rio esquecido, da zona norte, da Baixada Fluminense e de São Gonçalo", criticando a gestão do PMDB no Estado. O PT integrou o governo atual de 2007 até o início deste ano. no programa, Lindbergh apareceu ao lado da mulher e dos filhos e concentrou suas propostas em educação, transportes e saúde. Sobre segurança, disse que "somente com cultura e educação haverá pacificação". No fim, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apareceu mais uma vez pedindo votos para Lindbergh.

No trecho dos candidatos ao Senado, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) pediu votos para o candidato do PDT, Carlos Lupi, apesar de a coligação de Pezão apoiar a candidatura do ex-prefeito Cesar Maia (DEM). Em junho, quando o nome de Maia foi anunciado para o Senado, Paes classificou o acordo entre PMDB, DEM e PSDB de "bacanal eleitoral". Na ocasião, o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) abriu mão de sua candidatura e cedeu a vaga ao ex-prefeito, um dos principais adversários políticos de Paes.

Eleições 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo