Procurador-geral só pedirá condenação dos réus na sexta-feira

Decisão sobre desmembramento do processo tomou quase todo o tempo da sessão de quinta

Ricardo Brito - Agência Estado

02 Agosto 2012 | 18h49

BRASÍLIA - O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, não fará a sustentação oral nesta quina-feira, 2, no processo do mensalão, que começou a ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

 

A mudança no cronograma previsto inicialmente deve-se ao fato de que a questão de ordem formulada pelo advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos tomou praticamente todo o dia da sessão de julgamento. O STF negou um pedido feito por Bastos para desmembrar o processo contra os réus que não possuem foro privilegiado.

 

Neste início de noite, o presidente da Corte, ministro Ayres Britto, suspendeu os trabalhos do plenário por 30 minutos. Os ministros devem avaliar outros pedidos preliminares feitos pelas defesas de réus no resto do dia.

 

Dessa forma, Gurgel fará a sustentação oral apenas amanhã à tarde. Ele terá cinco horas para pedir a condenação dos 38 réus do processo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.