Primeira-dama do Piauí toma posse como conselheira do TCE

Lilian Martins disse que se julgará impedida em questões relacionadas às contas do governo

Luciano Coelho, da Agência Estado

02 Maio 2012 | 18h05

TERESINA - A primeira-dama do Estado do Piauí, Lilian Martins, foi empossada nesta quarta, às 8 horas da manhã, como conselheira do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A solenidade foi rápida e não teve a presença do governador Wilson Martins (PSB), marido da conselheira. Ela disse que se julgará impedida em questões relacionadas às contas do Governo do Estado.

O conselheiro substituto fez o discurso de boas vindas em nome do Tribunal e disse que tem certeza de que Lilian está à altura do cargo. A primeira-dama assume a cadeira após a morte do conselheiro Xavier Neto em acidente aéreo, no mês de março, no qual também estava o conselheiro substituto, Jaime Amorim.

"Tenho pouco medo das injustiças que possam atingir minha imagem, mas tenho muito medo que essas injustiças que possam abraçar as causas que quero abraçar. Eu nunca imaginei que um dia eu chegasse aqui. Estou em uma nova fase da minha vida e tenho consciência do desafio que vou enfrentar neste cargo. Mas me senti extremamente acolhida nesta Casa e isso é muito importante", discursou a nova conselheira, dizendo que é disciplinada e esforçada. "Não vim para inventar. Vim para somar".

Lilian Martins pediu que a sociedade confie na nova conselheira. "Existe o Instituto da suspeição e o Instituto do impedimento. Não só aqui, mas em qualquer lugar. Se você achar que é parcial poderá abrir mão do julgamento de determinadas causas.", explicou a conselheira, dizendo que vai se julgar impedida para analisar contas de qualquer órgão do Estado.

O TCE tem sete membros como conselheiros. O cargo é vitalício e tem um salário equivalente ao de um desembargador do Estado, em torno de R$ 24,5 mil por mês.

Estiveram presentes na solenidade o coordenador de Comunicação do Governo, Fenelon Rocha, o secretário de Educação, Átila Lira, o deputado estadual João Madison Nogueira e o controlador geral do Estado, Antônio de Almeida Filho.

Mais conteúdo sobre:
Lilian Martins Wilson Martins

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.