GERALDO BUBNIAK/AGB
GERALDO BUBNIAK/AGB

Preso, Vaccari é aplaudido de pé em congresso do PT

Ex-tesoureiro da sigla recebeu manifestação de apoio na reunião fechada em que os delegados do encontro aprovaram a Carta de Salvador, documento com as teses da sigla

Vera Rosa, Ricardo Galhardo e Ana Fernandes, enviados especiais, O Estado de S. Paulo

11 Junho 2015 | 20h08

Salvador - O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto foi aplaudido de pé por três minutos, nesta quinta-feira, no 5.º Congresso do PT. A manifestação de apoio ocorreu na reunião fechada em que os delegados do encontro aprovaram a Carta de Salvador, documento produzido pelo grupo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Preso desde abril pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, Vaccari é acusado de desvio de dinheiro da Petrobrás para abastecer o caixa do PT. "O companheiro Vaccari foi preso injustamente", disse Markus Sokol, dirigente da corrente O Trabalho, que pediu uma salva de palmas para o ex-tesoureiro.

A 1.446 quilômetros do Congresso do PT, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, que cumpre prisão domiciliar em Brasília, também "pairou" sobre o encontro nas conversas dos petistas. Houve até quem admitisse sentir saudade do tempo em que ele dirigia o partido com mão de ferro, de 1995 a 2002. Em conversa com amigos, na semana passada, Dirceu previu que o congresso do PT seria esvaziado e chamou o encontro de "convescote". 

Antes de entrar para a reunião que aprovou a tese-guia do 5.º Congresso, um delegado da Paraíba abordou Sokol, sem esconder a curiosidade. "É verdade que a Dilma só vai vir no Congresso do PT porque o Lula mandou?", perguntou ele. "Rapaz, sei não, mas a mulher é estranha", respondeu o petista.

Mais conteúdo sobre:
Congresso PT João Vaccari Neto

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.