Estadão
Estadão

Presidente do PSB chama de 'passantes' parlamentares da sigla que estão migrando para DEM e PMDB

Carlos Siqueira disse que dissidentes não podem transformar 'o programa de ideologia' do partido em uma 'tese liberal-conservadora'

Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2017 | 22h26
Atualizado 23 Setembro 2017 | 13h55

Correções: 23/09/2017 | 13h53

BRASÍLIA - O presidente do PSB, Carlos Siqueira, chamou de “passantes” os parlamentares do partido que estão migrando para o DEM e para o PMDB. O assédio a políticos do PSB, nos últimos dias, serviu como pano de fundo para as ruidosas críticas do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), que acusou o PMDB de dar uma “facada nas costas” do DEM.

“Parlamentares socialistas jamais cogitariam ir para o DEM ou para o PMDB, nas condições em que se encontra, para apoiar o governo de um cidadão chamado Michel Temer”, afirmou Siqueira. “São passantes que passam por diferentes partidos”, emendou ele, ao lembrar que o senador Fernando Bezerra Coelho (ex-PSB e hoje no PMDB) já foi filiado a diversas siglas.

Em tom de ironia, Siqueira disse ser “natural” que as pessoas se aproximem de quem têm mais afinidade. “O que não podem é transformar o programa e a ideologia de um partido de 70 anos, como o PSB, em uma tese liberal-conservadora”, provocou. “Eles estão no caminho certo. É lá mesmo (no DEM e no PMDB) que têm de ficar.”

A cúpula do PSB orientou os seus deputados a votarem pela admissibilidade da primeira denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra Temer, por corrupção passiva, mas nem todos concordaram. Em 2 de agosto, dia da votação no plenário da Câmara, a bancada rachou. Foram 22 votos do PSB a favor do prosseguimento do processo, 11 contrários e duas abstenções.

Na avaliação de Siqueira, a segunda denúncia encaminhada à Câmara - agora por organização criminosa e obstrução da Justiça - agrava a situação do presidente. "É claro que a orientação é para  que os deputados do PSB votem contra Temer novamente. O estranho seria se fizéssemos o contrário", disse ele.  

Correções
23/09/2017 | 13h53

Diferentemente do publicado inicialmente no texto, o presidente do PSB, Carlos Siqueira, chamou de "passantes", não de "farsantes", os parlamentares do partido que estão mudando de legenda.

Mais conteúdo sobre:
PSB [Partido Socialista Brasileiro]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.