1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Presidente do PMDB-MG acusa tucanos de tentar comprar apoio

Aline Reskalla - Especial para o Estado

26 Maio 2014 | 22h 54

O deputado federal Antonio Andrade disse que 'um porta-voz' ofereceu pela 'aliança' R$ 20 milhões e a vaga para concorrer ao Senado; presidente do PSDB em Minas disse ser 'um absurdo' e pede retratação

Belo Horizonte - O presidente do PMDB de Minas Gerais, deputado federal Antônio Andrade, acusou nesta segunda-feira, 26, o PSDB mineiro de tentar comprar o apoio do partido nas eleições para o governo do Estado. Durante reunião do diretório estadual, em Belo Horizonte, Andrade afirmou que, pela 'aliança', um 'porta-voz' do PSDB ofereceu R$ 20 milhões e a vaga para a disputa pelo Senado.

"Eu disse para eles que eu tenho que ajudar nossa bancada, que estou atrás de R$ 20 milhões e eles disseram: 'Isso não é problema nenhum. Nós conseguimos os R$ 20 milhões para a ajudar os pré-candidatos a deputado'", afirmou Andrade.

O dinheiro seria usado, segundo o deputado, para bancar a campanha dos candidatos do PMDB mineiro à Câmara e à Assembleia de Minas Gerais.

O presidente do PMDB de Minas disse ainda que, nesse caso, ele mesmo seria o candidato a senador na suposta aliança, no lugar do ex-governador do Estado, Antonio Anastasia.

Andrade não citou nomes. O presidente do PSDB mineiro, Marcus Pestana, disse ao Estado que considera a denúncia "uma coisa exótica, um absurdo".

"Estou indignado. É uma irresponsabilidade. Nunca conversei com Antonio Andrade sobre aliança. Espero uma rápida retratação dessa calúnia. Se não houver uma retratação pública, vou fazer uma interpelação judicial", protestou o deputado.

Pesquisa. Nesta segunda foi divulgada uma pesquisa do Instituto Vox Populi que mostra o ex-ministro Fernando Pimentel (PT) com 35% das intenções de votos para governador de Minas, enquanto o candidato do PSDB, Pimenta da Veiga, tem 19%. Segundo o levantamento, o ex-ministro venceria no primeiro turno.

Em outro cenário, se as eleições fossem hoje, Pimentel teria 29% das intenções de voto contra 16% de Pimenta da Veiga (PSDB), 2% de Maria da Consolação Rocha (PSOL), 2% de Vanessa Portugal (PSTU) e 1% de Apolo Heringer (PSB).

A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral com os números MG-00025/2014 e BR-00129/2014, no dia 21 de maio de 2014. Foram entrevistadas 2.000 pessoas entre os dias 17 e 21 de maio. A margem de erro é de 2,19 pontos porcentuais para mais ou para menos.