1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Presidente do Instituto Lula diz que suspensão de depoimento foi 'acertada'

- Atualizado: 17 Fevereiro 2016 | 12h 00

Para Paulo Okamotto, promotor fez prejulgamento do ex-presidente Lula e foi parcial; petista e a mulher dele, Marisa, seriam ouvidos pelo Ministério Público nesta quarta

O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, disse que foi "acertada" a decisão do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) de suspender o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de sua mulher, Marisa Letícia, marcado para esta quarta-feira, 17. "O promotor fez um prejulgamento, estava sendo parcial. Isso não é como deve ser feita a Justiça no Brasil", afirmou ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado. "O Ministério Público é uma instituição séria. Tem que apurar e esclarecer a verdade".

Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula

Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula

Okamotto se referiu ao fato de que, em entrevista à revista Veja, o promotor de Justiça Cassio Roberto Conserino afirmou que denunciaria Lula e sua esposa por ocultação de propriedade, antes de se pronunciar oficialmente no processo. O Ministério Público de São Paulo abriu inquérito para investigar suposta propriedade de familiares do petista de um tríplex no Guarujá, no litoral paulista.

Okamotto negou que o pedido para suspender o depoimento, feito pelo deputado Paulo Teixeira (PT-SP) e aceito pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), possa ser interpretado como uma negativa de Lula a dar esclarecimentos sobre o caso. "Você só explica para quem quer ouvir a explicação, não para quem quer prejulgar ou já tem uma verdade preestabelecida", afirmou.

O presidente do Instituto Lula também comentou a reportagem publicada nesta quarta-feira pela Folha de S. Paulo, que diz que o ex-sindicalista José Zunga Alves de Lima teria articulado, dentro da Oi, a instalação de uma antena de telefonia celular perto do sítio em Atibaia frequentado pela família de Lula. "O presidente Lula nem tem telefone celular. Ali perto tem outras propriedades e condomínios", disse Okamotto. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX