Reprodução
Reprodução

Prefeito do interior paulista é assassinado

Laércio Betarelli (PSDB), do município de Elias Fausto, foi morto a tiros na manhã de ontem quando visitava uma obra

José Maria Tomazela , O Estado de S. Paulo

02 Outubro 2015 | 21h50

SOROCABA - O prefeito de Elias Fausto (SP), Laércio Betarelli (PSDB), de 58 anos, foi assassinado com seis tiros na manhã desta sexta-feira, 2, quando vistoriava obras da prefeitura, no bairro Balneário Carimã. Betarelli, que cumpria o terceiro mandato não consecutivo de prefeito, estava sozinho, próximo do canteiro de obras, quando ocorreram os disparos. Pessoas que estavam nas imediações ouviram os tiros e encontraram o corpo caído com ferimentos à bala no peito e na cabeça.

O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Piracicaba, sede da região. O secretário estadual da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, que foi ao IML acompanhar a perícia, disse que Betarelli foi vítima de uma emboscada. Um homem que estaria sobre uma árvore teria esperado a chegada do prefeito, que tinha o hábito de ir às obras sozinho, para descer e efetuar os disparos. Ainda segundo Moraes, uma testemunha teria visto o suposto assassino escondido na copa da árvore. O crime, de acordo com ele, teria sido praticado por algum desafeto do prefeito.

Outras testemunhas disseram ter visto uma caminhonete branca se afastando do local do crime. O secretário colocou a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e a Delegacia Seccional de Piracicaba na apuração do crime. A polícia já recolheu imagens de câmeras de monitoramento instaladas na região.

Engenheiro civil pela PUC de Campinas, Betarelli havia sido prefeito de 1997 a 2000 e de 2005 a 2008. Ele iniciou a carreira pública como chefe de gabinete na prefeitura de Monte Mor, cidade onde nasceu. O prefeito, conhecido como Dude, deixa esposa e dois filhos. O vice-prefeito Joaquim de Campos Bicudo decretou luto oficial na cidade por sete dias, mas os serviços essenciais não serão paralisados.

Delegado. As investigações sobre o assassinato de Laércio Betarelli foram iniciadas por um desafeto do prefeito, o delegado de Elias Fausto, Gillis Scrocca. No último dia 22, durante reunião de prefeitos com o secretário Alexandre de Moraes, em Piracicaba, Betarelli pediu em público a saída do delegado de seu município por considerá-lo “inoperante”. O delegado disse que o descontentamento se dava por razões políticas e por ele ter prendido, em outras gestões, pessoas ligadas ao prefeito. Scrocca afirmou ainda que a desavença não o impediria de ir a fundo nas investigações para elucidar o crime. O secretário minimizou o episódio, dizendo que prefeito e delegado tinham apenas “inimizade política”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.